O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO VI 1572

sacudia fortemente o braço do médium: seu aspecto era aterrorizante; vestia uma camisa coberta de sangue e tinha um punhal.

1. P. A São Luís. Quereis nos descrever o gênero de suplício deste Espírito. – R. É atroz para ele; foi condenado a morar na casa onde o crime foi cometido, sem poder dirigir o seu pensamento para outra coisa que não seja esse crime, sempre diante de seus olhos, e se crê condenado a essa tortura pela eternidade. Constantemente, ele se vê no momento em que cometeu o seu crime; toda outra lembrança lhe foi retirada, e toda comunicação com outro Espírito, proibida; ele não pode, sobre a Terra, ficar senão nesta casa, e se estiver no espaço, estará nas trevas e na solidão.

2. Haveria um meio de desalojá-lo dessa casa, e qual seria? – R. Querendo-se desembaraçar-se de obsessões de semelhantes Espíritos, isso é fácil orando por eles: é o que se negligencia sempre fazê-lo. Prefere-se atemorizá-los por fórmulas de exorcismo, que os divertem muito.

3. Dando às pessoas interessadas a idéia de orar por ele, e nós mesmos orando por ele, o faríamos mudar-se? – R. Sim, mas notai que eu disse orai, e não fazer orar.

4. Eis dois séculos que ele está nesta situação; aprecia esse tempo como se fosse vivo; quer dizer, o tempo lhe parece tão longo ou menos longo, como se fora vivente? – R. Parece-lhe mais longo: o sono não existe para ele.

5. Foi-nos dito que, para os Espíritos, o tempo não existe, e que, para eles, um século é um ponto na eternidade; não ocorre, pois, o mesmo para todos? – R. Não, certamente; assim não é senão para os Espíritos chegados a um grau muito elevado de adiantamento; mas para os Espíritos inferiores, algumas vezes, o tempo é bem longo, sobretudo quando sofrem.

6. De onde veio esse Espírito antes de sua encarnação? – R. Teve uma existência entre as populações mais ferozes e mais selvagens, e precedentemente veio de um planeta inferior à Terra.

7. Esse Espírito está punido bem severamente pelo crime que cometeu; se viveu entre os povos bárbaros, deve ter cometido atos não menos atrozes do que o último; por isso, foi