O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO VII 1591

crime! É uma palavra ! O crime existe por toda a parte. Quando é executado por massas de homens, ele é glorificado; no particular, é um maldito. Absurdo!

"Não quero ser lamentado... não peço nada... basto-me e saberei muito lutar contra essa odiosa luz.

"Aquele que ontem era um homem."

Tendo esta comunicação sido analisada na sessão seguinte, reconheceu-se, no cinismo mesmo da linguagem, um sério ensinamento, e viu-se, na situação desse infeliz, uma nova fase do castigo que espera o culpado. Com efeito, ao passo que uns são mergulhados nas trevas, ou num isolamento absoluto, outros suportam, durante longos anos, as angústias de sua última hora, ou se crêem ainda neste mundo, a luz brilha para este; seu Espírito goza a plenitude de suas faculdades; sabe perfeitamente que está morto, e não se lamenta de nada; não pede nenhuma assistência, e afronta ainda as leis divinas e humanas. É, pois, que escaparia à punição? Não, mas é que a justiça de Deus se cumpre de todas as formas, e o que faz a alegria de uns, para outros é um tormento; essa luz faz o seu suplício contra o qual se obstina, e, apesar de seu orgulho, confessa-o quando disse: "Eu me basto e saberei muito lutar contra essa odiosa luz"; e nesta outra frase: "A luz me ofusca e penetra como uma flecha aguçada, a sutileza do meu ser." Estas palavras: sutileza de meu ser, são características; ele reconhece que seu corpo é fluídico e penetrável à luz da qual não pode escapar, e essa luz o transpassa como uma flecha aguçada.

Este Espírito está colocado entre os endurecidos porque demorou muito tempo para manifestar o menor arrependimento. É um exemplo desta verdade, de que o progresso moral nem sempre segue o progresso intelectual. Pouco a pouco, entretanto, ele melhorou e deu comunicações sabiamente raciocinadas e instrutivas. Hoje, pode ser alinhado entre os Espíritos arrependidos.

Nossos guias espirituais, rogados para darem a sua apreciação sobre este assunto, ditaram as três comunicações adiante, e que merecem uma séria atenção.

I

Os Espíritos na erraticidade estão, evidentemente do