O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO VII 1600

2. Lamentais não ter sido enterrada em vosso país, e estar entre os cristãos? – R. Sim, a terra indiana me pesaria menos em meu corpo. – Que pensais das honras fúnebres prestadas aos vossos despojos? – R. Foram bem pouca coisa; eu era rainha, e nem todos dobraram joelhos diante de mim... Deixai-me... não me forceis a falar... não quero que saibais o que sou agora... eu fui rainha, sabei-o bem.

3. Respeitamos a vossa classe, e vos pedimos consentir-nos responder para a nossa instrução. Pensais que o vosso filho recobrará um dia os Estados de seu pai? – R. Certamente, o meu sangue reinará; disso é digno. Dais a reintegração de vosso filho a mesma importância que quando viva? – R. Meu sangue não pode ser confundido na multidão.

4. Não se pôde inscrever no vosso atestado de óbito o vosso lugar de nascimento; poderíeis dizê-lo agora? – R. Nasci do mais nobre sangue da Índia. Creio que nasci em Delhi.

5. Vós, que vivestes nos esplendores do luxo, cercada de honras, que pensais disso agora? – R. Eram-me devidos. – A classe que ocupastes sobre a Terra vos dá outra mais elevada no mundo onde estais hoje. – R. Eu sou sempre rainha... que se me enviem escravos para servir-me!... Eu não sei... parece-me não se incomodarem comigo aqui... todavia, sou sempre eu.

6. Pertencíeis à religião muçulmana ou uma religião hindu? – R. Muçulmana; mas eu era muito grande para me ocupar de Deus. – Que diferença fazeis entre a religião que professáveis e a religião cristã para a felicidade da Humanidade. – R. A religião cristã é absurda; ela diz que todos são irmãos. – Qual é a vossa opinião sobre Maomé? – R. Ele não foi filho de rei. – Credes que ele teve uma missão divina? – R. Que importa isso! – Qual é a vossa opinião sobre o Cristo? – R. O filho de um carpinteiro não é digno de ocupar o meu pensamento.

7. Que pensais do uso que subtraía as mulheres muçulmanas aos olhares dos homens? – R. Penso que as mulheres são feitas para dominar: eu era mulher. – Algumas vezes invejastes a liberdade de que gozam as mulheres na Europa? – R. Não; que me importava a sua liberdade? Servem-nas de joelhos?

8. Lembrai-vos de ter outras existências sobre a Terra,