O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO VIII 1616

Não te enganes sobre as missões que tens a cumprir; pequenos e grandes têm a sua; a minha foi penosa, mas eu merecia semelhante punição por minhas existências precedentes, como vim confessá-lo ao bom presidente da Sociedade mãe de Paris, à qual vos juntareis todos um dia. Esse dia não está tão longe quanto pensas; o Espiritismo caminha a passos de gigante, apesar de tudo que se faz para entravá-lo. Caminhai, pois, todos sem medo, servidores adeptos da doutrina, e os vossos esforços serão coroados de sucesso. Que vos importa o que se dirá de vós! Colocai-vos acima de uma crítica irrisória que cairá sobre os adversários do Espiritismo.

Os orgulhosos! Eles se crêem fortes e pensam vos abater facilmente; vós, meus bons amigos, permanecei tranqüilos, e não temais em vos medir com eles; são mais fáceis de se vencer do que não o credes; muitos, dentre eles, têm medo e temem que a verdade não venha, enfim, ofuscar-lhes os seus olhos; esperai e, a seu tempo, eles virão ajudar no coroamento do edifício.

JULIENNE-MARIE.

Este fato está cheio de ensinamentos para quem meditar nas palavras deste Espírito, em suas três comunicações; todos os grandes princípios do Espiritismo aí se encontram reunidos. Desde a primeira, o Espírito mostra a sua superioridade por sua linguagem; semelhante a uma fada benfazeja, essa mulher, resplandecente hoje, e como metamorfoseada, vem proteger aquele que não a recusou sob os andrajos da miséria. É uma aplicação destas máximas do Evangelho: "Os grandes serão rebaixados, e os pequenos serão elevados; felizes os humildes; felizes os aflitos, porque serão consolados; não desprezeis os pequenos, porque aquele que é pequeno neste mundo, talvez, seja maior do que não credes."

MAX, o mendigo

Numa cidade da Baviera morreu, por volta de 1850, um velho quase centenário, conhecido sob o nome de pai Max. Ninguém conhecia direito a sua origem, porque ele não tinha família. Há quase meio século, acabrunhado por enfermidades que o punham fora do estado de ganhar sua vida pelo trabalho, não tinha outros recursos que a caridade pública, que dissimulava vendendo, nas fazendas e nos castelos, almanaques