O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO VIII 1625

Era um homem muito honrado, de um caráter doce e benevolente, amado e estimado por todos aqueles que o conheceram. Tinha abraçado as idéias espíritas com entusiasmo, mas não com bastante reflexão, e foi, por essa razão, sendo um pouco médium, ele mesmo, um joguete de numerosas mistificações que, entretanto, não abalaram a sua fé. Sua confiança naquilo que lhe diziam os Espíritos eram levadas, em certa circunstância, até a ingenuidade.

Evocado na Sociedade de Paris, em 29 de abril de 1864, poucos dias depois de sua morte, e sob o império da terrível cena da qual fora a vítima, deu a comunicação seguinte:

"Uma tristeza profunda me oprime! Horrorizado ainda de minha morte trágica, creio-me sob o ferro de um carrasco. Quanto, pois, sofri! Oh! quanto sofri! Estou todo tremente. Parece-me que ainda sinto o odor fétido que as minhas carnes queimadas lançavam ao meu redor. Agonia de doze horas, quanto provastes, ó Espírito culpado! Sofreu sem murmurar, também Deus vai dar-lhe o seu perdão.

"Ó minha bem-amada! não chore mais sobre mim, minhas dores vão se acalmar. Eu não sofro realmente, mas a lembrança equivale à realidade. Meu conhecimento do Espiritismo ajuda-me muito; sei agora que, sem esta doce crença, teria permanecido no delírio onde fui jogado pela minha morte horrível.

"Mas tinha um consolador, que não me deixou desde o meu último suspiro; falava ainda que o via já perto de mim: parecia que era um reflexo de minhas dores, que me dava a vertigem, e mostrava-me fantasmas... não: era o meu anjo protetor que, silencioso e mudo, consolava-me pelo coração. Desde que disse adeus à Terra, ele me disse: "Vem, meu filho, e revê o dia." Respirei mais livremente, crendo sair de um sonho pavoroso; eu falava de minha bem-amada esposa, da corajosa criança que a mim se devotou. "Todos estão sobre a Terra, tu, ó meu filho, estás entre nós." Procurei a minha casa; o anjo, nela, me deixou entrar, acompanhando-me. Vi todo o mundo em lágrimas; tudo era triste e em luto nessa pacífica paisagem de outrora. Não pude sustentar por muito tempo a visão desse doloroso espetáculo; muito emocionado, disse ao meu guia: "Ó meu bom anjo, saiamos daqui! – Sim saiamos, disse o anjo, e procuremos o repouso."