A GÊNESE - CAPÍTULO PRIMEIRO 1670

ainda neste mundo, e crendo aplicarem-se às suas ocupações ordinárias, do exemplo concluiu-se a regra. A multiplicidade dos fatos análogos provou que não era uma exceção, mas uma das fases da vida espírita; ela permitiu estudar  todas as variedades e as causas dessa singular ilusão; reconhecer que essa situação é, sobretudo, própria dos Espíritos pouco avançados moralmente, e particular a certos gêneros de morte; que é temporária, mas pode durar dias, meses e anos. Foi assim que a teoria nasceu da observação. Ocorre  o  mesmo  com todos os outros princípios da Doutrina.

16. – Do mesmo modo que a ciência, propriamente dita, tem por objeto o estudo das leis do princípio material, o objeto especial do Espiritismo é o conhecimento das leis do princípio espiritual; ora, como este último princípio é uma das forças da Natureza, que reage, incessantemente, sobre o princípio material, e reciprocamente, disso resulta que o conhecimento de um não pode estar completo sem o conhecimento do outro. O Espiritismo e a ciência se completam um pelo outro; a ciência sem o Espiritismo se encontra na impossibilidade de explicar certos fenômenos unicamente pelas leis da matéria; ao Espiritismo, sem a ciência, lhe faltaria apoio e controle. O estudo das leis da matéria deveria preceder ao da espiritualidade, porque é a matéria que fere, primeiramente, os sentidos. O Espiritismo, vindo antes das descobertas científicas, teria sido obra abortada, como tudo o que vem antes de seu tempo.

17. – Todas as ciências se encadeiam e se sucedem numa ordem racional; nascem uma das outras, na medida que encontram um ponto de apoio nas idéias e nos conhecimentos anteriores. A astronomia, uma das primeiras das que foram cultivadas, permaneceu nos erros da infância até o momento em que a física veio revelar a lei das forças dos agentes naturais; a química, nada podendo sem a física, deveria sucedê-la de perto, para, em seguida, marcharem as duas de acordo, apoiando-se uma sobre a outra. A anatomia, a fisiologia, a zoologia, a botânica, a mineralogia não se tornaram ciências sérias senão com a ajuda das luzes trazidas pela física e pela química. A geologia, nascida ontem, sem a astronomia, a física, a química e todas as outras, teria se ressentido dos seus verdadeiros elementos de vitalidade; não poderia vir senão depois.