A GÊNESE - CAPÍTULO PRIMEIRO 1693

o proveito que os seus ensinamentos comportam; ora, todos, quaisquer que sejam, podem nos ensinar ou revelar coisas que ignoramos, e que, sem eles, não saberíamos.

59. – Os grandes Espíritos encarnados são individualidades poderosas, incontestavelmente, mas cuja ação é restrita e necessariamente lenta em se propagar. Que um só dentre eles, fosse mesmo Elias ou Moisés, Sócrates ou Platão, viesse, nestes últimos tempos, revelar aos homens o estado do mundo espiritual, quem teria aprovado a verdade de suas assertivas neste tempo de ceticismo? Não o teriam considerado como um sonhador ou um utopista? E, em se admitindo que estivesse com a Verdade absoluta, os séculos teriam se escoado antes que suas idéias fossem aceitas pelas massas. Deus, em sua sabedoria, não quis que fosse assim; quis que o ensinamento fosse dado pelos próprios Espíritos, e não pelos encarnados, a fim de convencer de sua existência, e que ocorreram simultaneamente em toda a Terra, seja para propagá-lo mais rapidamente, seja para que encontrasse, na coincidência do ensinamento, uma prova da verdade, tendo, cada um, os meios de se convencer por si mesmo.

60. – Os Espíritos não vêm para livrar o homem do trabalho do estudo e das pesquisas; não lhe trazem nenhuma ciência pronta; o que pode encontrar, ele mesmo, deixam-no às suas próprias forças; é o que os Espíritas sabem perfeitamente hoje. Desde muito tempo, a experiência demonstrou o erro da opinião que atribuía, aos Espíritos, todo o saber e toda a sabedoria, e que bastava dirigir-se ao primeiro Espírito que chegasse para conhecer todas as coisas. Saídos da Humanidade, os Espíritos lhe são uma das faces; como sobre aTerra, os há superiores e vulgares; muitos deles sabem, pois, científica e filosoficamente, menos do que certos homens; dizem o que sabem, nem mais nem menos; como entre os homens, os mais avançados podem nos informar sobre mais coisas, dar-nos conselhos mais judiciosos do que os atrasados. Pedir conselhos aos Espíritos não é dirigir-se à forças sobrenaturais mas aos semelhantes, àqueles mesmos a quem nos teríamos dirigido em seu viver: aos parentes, aos amigos, ou aos indivíduos mais esclarecidos do que nós. Eis do que importa se persuadir e o ignoram aqueles que, não tendo estudado o Espiritismo, fazem uma idéia completamente falsa sobre a natureza do mundo dos Espíritos e das relações de além-túmulo.