O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO II - CAP. VI - VIDA ESPÍRITA 170

pureza: quanto menos puro ele for, mais sua visão é limitada; somente os Espíritos superiores podem ter visão de conjunto.

A faculdade de ver, nos Espíritos, é uma propriedade inerente à sua natureza e que reside em todo o seu ser, como a luz reside em todas as partes de um corpo luminoso. É uma espécie de lucidez universal que se estende a tudo, envolve, a uma só vez, o espaço, o tempo e as coisas e para a qual não há trevas nem obstáculos materiais. Compreende-se que deve ser assim; no homem a visão se realiza através do funcionamento de um órgão impressionado pela luz, e sem luz ele fica na obscuridade. No Espírito a faculdade de ver sendo um atributo próprio, abstração feita de todo agente exterior, a visão é independente da luz (Veja-se: Ubiqüidade, nº 92).

248 – O Espírito vê as coisas tão distintamente como nós?

– Mais distintamente, porque sua visão penetra aquilo que não podeis penetrar; nada a obscurece.

249 – O Espírito percebe os sons?

– Sim, e percebe até mesmo o que os vossos sentidos obtusos não podem perceber.

– A faculdade de ouvir como a de ver, está em todo o seu ser?

– Todas as percepções são atributos do Espírito e fazem parte do seu ser. Quando está revestido de um corpo material, elas não lhe chegam senão por um canal de órgãos; mas no estado de liberdade, não estão mais localizadas.

250 – Sendo as percepções atributos do próprio Espírito, é possível que ele deixe de usá-las?

– O Espírito só vê e ouve o que ele quiser. Isto de uma maneira geral e, sobretudo, para os Espíritos elevados; os imperfeitos ouvem e vêem freqüentemente, queiram ou não, aquilo que pode ser útil ao seu adiantamento.

251 – Os Espíritos são sensíveis à música?

– Quereis falar de vossa música? O que é ela diante da música celeste? Desta harmonia que nada sobre a Terra pode vos dar uma idéia? Uma é para a outra o que o canto do selvagem é para a suave melodia. Entretanto, os Espíritos vulgares podem experimentar um certo prazer em ouvir a vossa música, porque não são ainda capazes de