A GÊNESE - CAPÍTULO TERCEIRO 1720

pelo instinto, poderia ser muito bom, mas deixaria dormir a sua inteligência; seria igual à criança que não deixasse as andadeiras e não soubesse se servir dos seus membros. Aquele que não domina as suas paixões pode ser muito inteligente, mas, ao mesmo tempo, muito mau. O instinto se aniquila por si mesmo; as paixões não se domam senão pelo esforço da vontade.

DESTRUIÇÃO DOS SERES VIVOS UNS PELOS OUTROS

20. – A destruição recíproca dos seres vivos é uma das leis da Natureza que, à primeira vista, parece se conciliar menos com a bondade de Deus. Pergunta-se, por que fez uma necessidade, de se entredevorarem, para se nutrirem às expensas uns dos outros.

Para aquele que não vê senão a matéria, que limita a sua visão à vida presente, com efeito, isso parece uma imperfeição na obra divina. É que, em geral, os homens julgam a perfeição de Deus sob o seu ponto de vista; seu próprio julgamento é a medida da sua sabedoria, e pensam que Deus não saberia fazer melhor do que eles mesmos fazem. Sua vista curta, não lhes permitindo julgar o conjunto, não compreendem que um bem real pode sair de um mal aparente. O conhecimento do princípio espiritual, considerado em sua essência verdadeira, e da grande lei da unidade que constitui a harmonia da criação, pode dar, ao homem, a chave desse mistério, e mostrar-lhe a sabedoria providencial e a harmonia, precisamente onde não via senão uma anomalia e uma contradição.

21.A verdadeira vida, do animal quanto a do homem, não está mais no envoltório corporal do que no vestuário; ela está no princípio inteligente, que preexiste e sobrevive ao corpo. Esse princípio tem necessidade do corpo para se desenvolver pelo trabalho, que deve cumprir na matéria bruta; usa-se o corpo nesse trabalho, mas, ao Espírito não se usa; ao contrário, dele sai, a cada vez, mais forte, mais lúcido e mais capaz. Que importa, pois, que o Espírito mude, mais ou menos freqüentemente, de envoltório! Por isto, não é menos Espírito; é absolutamente como se um homem renovasse cem vezes o seu vestuário num ano, e, por isso, não deixaria de ser o mesmo homem.