A GÊNESE - CAPÍTULO SEXTO 1767

operações do nosso pensamento não se estendem, ainda, senão sobre um campo imperceptível perto da imensidade e da eternidade do Universo, que não acabará.

E quando esses períodos da nossa imortalidade tiverem passado sobre as nossas cabeças, quando a história atual da Terra nos apareça como uma sombra vaporosa nos fundos das nossas recordações; que tivemos habitado durante séculos inominados esses diversos graus de nossa hierarquia cosmológica; que os domínios, os mais distantes, das idades futuras tiverem sido percorridos por inumeráveis  peregrinações, teremos diante de nós a sucessão ilimitada dos mundos e a imóvel eternidade por perspectiva.

A VIDA UNIVERSAL

53. – Essa  imortalidade das almas, da qual o sistema do mundo físico é a base, pareceu imaginária aos pensadores prevenidos; ironicamente classificam-na de imortalidade viajora, e não compreenderam que ela só é verdadeira diante do espetáculo da criação. No entanto, é possível fazer compreender-lhe toda a grandeza, diria, quase toda a perfeição.

54. – Que as obras de Deus estejam criadas para o pensamento e a inteligência; que os mundos sejam a morada de seres que os contemplam e descobrem sob o seu véu o poder e a sabedoria daquele que os forma, essa questão não é mais duvidosa para nós; mas que as almas que os povoam sejam solidárias, isso é o que importa conhecer.

55. – A inteligência humana, com efeito, tem dificuldade para considerar esses globos radiosos que cintilam na extensão, como simples massas de matéria inerte e sem vida; tem dificuldade para pensar que, nessas regiões longínquas, de magníficos crepúsculos e noites esplêndidas, de sóis fecundos e de dias cheios de luz, de vales e de montanhas onde as produções múltiplas da Natureza desenvolveram toda a sua pompa luxuriante; tem dificuldade para imaginar, digo eu, que o espetáculo divino onde a alma pode se retemperar como em sua própria vida, esteja despojado da existência e privado de todo ser pensante que possa conhecê-lo.

56. – Mas a essa idéia eminentemente justa da criação, é preciso acrescentar a da humanidade solidária, e é nisso que consiste o mistério da eternidade futura.