A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-PRIMEIRO 1850

DOUTRINA DOS ANJOS DECAÍDOS E DO PARAÍSO PERDIDO (1)

43. – Os mundos progridem fisicamente pela elaboração da matéria, e moralmente pela depuração dos Espíritos que os habitam. Neles, a felicidade está em razão da predominância do bem sobre o mal, e a predominância do bem é o resultado do avanço moral dos Espíritos. O progresso intelectual não basta, uma vez que, com a inteligência, podem fazer o mal.

Então, pois, quando um mundo chega a um de seus períodos de transformação, que deve fazê-lo subir na hierarquia,  mutações se   operam  na sua  população encarnada e desencarnada; é então que ocorrem as grandes emigrações  ou  imigrações (nºs. 34, 35). Aqueles que, apesar de sua   inteligência  e  de  seu saber, perseveraram no mal, em sua revolta contra Deus e suas leis, serão doravante um entrave  para o progresso moral ulterior, uma causa permanente de   perturbação para o repouso e a felicidade dos bons, por isso eles são excluídos e enviados para os mundos menos avançados; ali aplicarão a sua inteligência e a intuição dos conhecimentos  adquiridos   ao   progresso daqueles entre os quais são chamados a viver, ao mesmo tempo que expiarão,  numa  série   de existências penosas e por um duro   trabalho, as suas faltas passadas e o seu endurecimento voluntário.

Que serão,  entre  esses   povos, novos para eles, ainda na infância da barbárie, senão anjos ou Espíritos decaídos enviados em expiação? A Terra, da qual foram expulsos, não é para eles um paraíso perdido? Não era para eles  um   lugar de delícias em comparação com o meio ingrato onde vão se achar relegados durante milhares de


(1) Quando, na Revista de janeiro de 1862, publicamos um artigo sobre a interpretação da doutrina dos anjos decaídos, apresentamos essa teoria como uma hipótese, não tendo senão a autoridade de uma opinião pessoal controvertida, porque então nos faltavam elementos bastante completos para uma afirmação  absoluta;  demo-la  a   título  de ensaio, tendo em vista provocar-lhe o exame, bem determinado a abandoná-la ou a modificá-la se isso ocorresse. Hoje, essa teoria sofreu a prova do controle universal; não só foi acolhida pela grande maioria dos Espíritas como a mais racional e a mais conforme com a soberana justiça de Deus, mas foi confirmada pela generalidade das instruções dadas pelos Espíritos sobre esse assunto. Ocorre o mesmo com aquela que concerne à origem da raça adâmica.