A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-SEGUNDO 1858

seis dias, de vinte e quatro horas, da criação, por seis períodos indeterminados para se encontrar uma analogia completa; seria um erro, não menos grande, o crer que, salvo o sentido alegórico de algumas palavras, a Gênese e a ciência se seguem passo a passo, e não são senão a paráfrase uma da outra.

4. – Notemos,   de  início, assim como isso foi dito (cap.   VII, nº14), que o número de seis períodos geológicos é arbitrário, uma vez   que  se  contam   mais   de vinte e cinco formações bem caracterizadas. Este número não marca senão   as   grandes fases gerais; não foi adotado, no princípio,  senão para encaixar, o mais possível, no texto bíblico em uma época, pouco distante, de resto, em que se acreditava que  se  deveria controlar a ciência pela Bíblia. Foi  por isso  que  os  autores da maior parte das teorias cosmogônicas, com o  objetivo de se fazerem aceitar, mais facilmente, se   esforçaram,   por   se  colocarem de acordo com o texto  sagrado. Quando  a  ciência  está  apoiada sobre o método  experimental,  ela se sente mais forte, e está emancipada;  hoje, é a Bíblia que  se controla  pela ciência.

Por outro lado, a geologia, não tomando seu ponto de partida senão pela formação dos terrenos graníticos, não compreende, no número de seus períodos, o estado primitivo da Terra. Ela não se ocupa, não mais, do Sol, da Lua e das estrelas, nem do conjunto do Universo, que pertencem à astronomia. Para entrar no quadro da Gênese, convém, pois, acrescentar um primeiro período abarcando essa ordem de fenômenos, e que se poderia chamar de período astronômico.

Além  do mais, o  período  diluviano  não  é considerado   por todos os geólogos como formando um período distinto, mas como um fato transitório e passageiro, que não mudou  consideravelmente o estado climático do globo, nem marcou uma nova fase nas espécies vegetais e animais, uma vez que, com poucas exceções, as mesmas espécies se achavam antes do dilúvio e depois  dele. Pode-se, pois,  fazer-se   abstração dele, sem se afastar da verdade.

5. – O quadro comparativo seguinte, no qual estão resumidos os fenômenos  que  caracterizaram cada um dos seis períodos, permite abraçar o conjunto, e julgar as relações  e as diferenças que existem entre eles e a Gênese bíblica.