A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-SEGUNDO 1862

princípio; ela é falsa naquilo que faz criar a Terra antes do Sol; estando a Terra submetida ao Sol em seu movimento de translação, deve ter sido formada depois dele: era o que Moisés não podia saber, uma vez que ignorava a lei da gravitação.

O mesmo pensamento se encontra na Gênese dos antigos Persas. No primeiro capítulo do Vendedad, Ormuzd, contando a origem do mundo, disse: "Eu criei a luz que foi iluminar o Sol, a Lua e as estrelas. "(Dictionnaire de mythologie universelle.) A forma, certamente, está aqui mais clara e mais científica do que em Moisés, e não tem necessidade de comentário.

9. – Moisés, evidentemente, partilhava as mais primitivas crenças sobre a cosmogonia. Como os homens de seu tempo, acreditava na solidez da abóbada celeste, e em reservatórios superiores para as águas. Esse pensamento está expresso, sem alegoria nem ambigüidade, nesta passagem (versículo 6 e seguintes):" Deus disse: Que o firmamento seja feito no meio das águas, e que ele separe as águas das águas. Deus fez o firmamento e ele separou as águas que estavam sob o firmamento daquelas que estavam acima do firmamento." (Ver, cap. V, Sistemas do mundo, antigos e modernos, nº 3, 4 e 5.)

Uma antiga crença fazia considerar a água como o princípio, o elemento gerador primitivo; também Moisés não fala da criação das águas, que parecem já existir. "As trevas   cobriam   o abismo," quer dizer, as profundezas do espaço que a imaginação se representava vagamente ocupada  pelas  águas,   e nas trevas antes da criação da luz; eis   porque   Moisés disse: "O Espírito de Deus era levado (ou  planava)   sobre as águas." A Terra sendo considerada formada no meio das águas, era necessário isolá-la; supôs-se,  pois, que Deus fizera o firmamento, abóbada sólida que separava  as águas do alto das que estavam sobre a Terra.

Para se  compreender  certas partes da Gênese, necessariamente, é preciso colocar-se no ponto de vista das idéias cosmogônicas do tempo, do qual ela é o reflexo.