A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-SEGUNDO 1873

tismo o explica sem dificuldade e de maneira racional, pela anterioridade  da alma e a pluralidade das existências, lei sem a qual tudo é mistério e anomalia na vida do homem. Com  efeito,  admitamos  que Adão e Eva já tinham vivido, tudo se encontra justificado: Deus não lhes fala como a crianças,

mas como a seres em estado de comprenderem e que o compreendem, prova evidente de que têm um conhecimento anterior. Admitamos, por outro lado, que viveram num mundo mais avançado e menos material do que o nosso, onde o trabalho do Espírito supria o trabalho do corpo; que pela sua rebelião à lei de Deus, figurada pela desobediência, hajam sido excluídos e exilados, por punição, sobre a Terra, onde o homem, em conseqüência da natureza do globo, está sujeito a um trabalho corporal, Deus tinha razão em dizer-lhes: No mundo onde ides viver doravante, "cultivareis a terra e dela retirareis o vosso alimento com o suor do vosso rosto;" e à mulher: "Parireis com dor," porque tal é a condição deste mundo. (Cap. XI, nº 31 e seg.).

O paraíso terrestre, cujos traços inutilmente se tem procurado sobre a Terra, era, pois, a figura do mundo feliz onde vivera Adão, ou antes a raça dos Espíritos dos quais é a personificação. A expulsão do paraíso marca o momento em que esses Espíritos vieram se encarnar entre os habitantes deste mundo, e a mudança de situação que lhe foi a conseqüência. O anjo armado de uma espada flamejante, que proibe a entrada no paraíso, simboliza a impossibilidade em que estão os Espíritos dos mundos inferiores de penetrar nos mundos superiores, antes de tê-lo merecido por sua depuração. (Ver adiante cap. XVI, nº 8 e seg.).

24. – Caim (depois da morte de Abel) respondeu ao Senhor: Minha iniqüidade é muito grande para poder dele obter o perdão. – Vós me expulsais hoje de cima da Terra, e eu irei me esconder de diante de vossa face. Eu serei fugitivo  e vagabundo sobre a   Terra,  portanto, quem quer que   me encontre, me matará. – O Senhor lhe respondeu: Não, assim não será; porque quem matar Caim será punido muito severamente por isso. E o Senhor pôs um sinal sobre Caim, a fim de que aqueles que o encontrassem não o matassem.

Tendo Caim se retirado de diante da face do Senhor,