O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO II - CAP. VI - VIDA ESPÍRITA 190

união de dois Espíritos simpáticos; é uma expressão usada mesmo na linguagem vulgar e que se faz necessário não se prender à letra. Os Espíritos que a usam não pertencem, certamente, a uma ordem mais elevada. A esfera de suas idéias é, necessariamente, limitada e eles expressam seus pensamentos pelos termos de que se serviram durante a vida corporal. É preciso, portanto, rejeitar essa idéia de que dois Espíritos, criados um para o outro, deverão um dia, fatalmente, reunirem-se na eternidade, depois de estarem separados durante um lapso de tempo mais ou menos longo.

LEMBRANÇA DA EXISTÊNCIA CORPORAL.

304 – O Espírito se lembra da sua existência corporal?

– Sim, quer dizer, tendo vivido muitas vezes como homem, recorda-se do que foi, e te asseguro que, por vezes, se ri apiedado de si mesmo.

Como o homem que, atingindo a idade da razão, ri dos excessos de sua adolescência ou das puerilidades de sua infância.

305 – A lembrança da existência corporal se apresenta ao Espírito de maneira completa e inopinada depois da morte?

– Não, ele a revê pouco a pouco, como alguma coisa surgindo do nevoeiro, e à medida que fixa nisso sua atenção.

306 – O Espírito se lembra, pormenorizadamente, de todos os acontecimentos de sua vida? Alcança o conjunto deles de um golpe de vista retrospectivo?

– Ele se lembra das coisas em razão das conseqüências que tiveram para o seu estado de Espírito; mas compreendes que há circunstâncias de sua vida às quais ele não liga nenhuma importância e que nem mesmo procura recordar.

– Poderia lembrar-se delas se quisesse?

– Pode se lembrar dos detalhes e dos incidentes mais minuciosos, seja dos acontecimentos, seja mesmo dos seus pensamentos; mas quando isso não tem utilidade, não procura lembrar-se.

– O Espírito entrevê a finalidade da vida terrena, com relação à vida futura?

– Certamente ele a vê e a compreende bem melhor que enquanto encarnado; compreende a necessidade de purificação para alcançar o infinito e sabe que, a cada existência, deixa algumas impurezas.