A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-QUARTO 1911

pelos  olhos  do corpo,   o seriam   por  todas  as   pessoas presentes (1).

39. – Podendo o Espírito operar transformações na contextura de seu envoltório perispiritual, e este envoltório irradiando-se ao redor do corpo como uma atmosfera fluídica, um fenômeno análogo ao das aparições pode se produzir na própria superfície do corpo. Sob a camada fluídica, a figura real do corpo pode se apagar mais ou menos completamente e revestir outros traços; ou bem os traços primitivos vistos através da camada fluídica modificada, como através de um prisma, podem tomar uma outra expressão. Se o Espírito encarnado, saindo do terra-a-terra, se identifica com as coisas do mundo espiritual, a expressão de um rosto pode se tornar bela, radiosa, e, por vezes, mesmo luminosa; se, ao contrário, o Espírito está exaltado pelas más paixões, um belo rosto pode tomar um aspecto horrível.

É assim que se operam as transfigurações, que são sempre um reflexo das qualidades e dos sentimentos predominantes do Espírito. Este fenômeno é, pois, o resultado de uma transformação fluídica; é uma espécie de aparição perispiritual que se produz sobre o próprio corpo vivo e, algumas vezes, no momento da morte, em lugar de se produzir ao longe, como nas aparições propriamente ditas. O que distingue as aparições deste gênero é que, geralmente, elas são perceptíveis por todos os assistentes e pelos olhos do corpo, precisamente porque elas têm por base a matéria carnal visível, ao passo que, nas aparições puramente fluídicas, não há matéria tangível (2).

MANIFESTAÇÕES FÍSICAS. MEDIUNIDADE.

40. – Os fenômenos das mesas girantes e falantes, da


(1) Não é necessário aceitar, senão com uma extrema reserva, os relatos de aparições puramente individuais que, em certos casos, poderiam ser o efeito da imagninação superexcitada, e, por vezes, uma invenção feita num objetivo interessado. Convém, pois, ter uma conta escrupulosa das circunstâncias, da honradez da pessoa, assim como do interesse que ela poderia ter abusando da credulidade do indivíduo muito confiante.

(2) Exemplos e teoria da tansfiguração. Revista Espírita, março 1859, página 62. (O Livro dos Médiuns, cap. VII, página 142).