A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-QUINTO 1919

CAPÍTULO XV

OS MILAGRES DO EVANGELHO

Superioridade da natureza de Jesus. – Sonhos. – Estrela dos magos. – Dupla vista. – Curas. – Possuídos. –

Ressurreições. – Jesus anda sobre a água. – Transfiguração. – Tempestade acalmada. – Bodas de Caná. –

Multiplicação dos pães. – A tentação de Jesus. – Prodígios na morte de Jesus. – Aparição de Jesus depois de sua

morte. – Desaparecimento do corpo de Jesus.

SUPERIORIDADE DA NATUREZA DE JESUS

1. – Os  fatos  narrados no Evangelho e que foram até aqui considerados como miraculosos, pertencem, na maioria, à ordem dos fenômenos psíquicos, quer dizer, daqueles que têm por causa primeira as faculdades e os atributos da alma. Aproximando-os daqueles que estão descritos e explicados no capítulo precedente, reconhece-se, sem dificuldade, que há entre eles identidade de causa e de efeito.  A  história mostra-os análogos em todos os tempos e em todos os povos, pela razão que, desde que há almas encarnadas e desencarnadas, os mesmos efeitos devem ter-se produzido. Pode-se, é verdade, contestar sobre este ponto a veracidade da história; mas hoje eles se produzem sob os nossos olhos, por assim dizer, à vontade, e por indivíduos que nada têm de excepcional. Só o fato da reprodução de um fenômeno, em condições idênticas, basta para provar que é possível e submetido a uma lei, e que, desde então, não é mais miraculoso.

O princípio dos fenômenos psíquicos repousa, como se viu, sobre as propriedades do fluido perispiritual, que constitui o agente magnético; sobre as manifestações da vida es-