A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-QUINTO 1949

vastes nos cestos? – Como não compreendeis que não era de pão que vos falava, quando vos disse para vos guardar do levedo dos fariseus e dos saduceus?

Então, eles compreenderam que não lhes dissera para se guardarem do levedo que se coloca no pão, mas da doutrina dos fariseus e dos saduceus. (São Mateus, cap. XVI, v. de 5 a 12).

O PÃO DO CÉU.

50. – No dia seguinte, o povo, que permanecera do outro lado do mar, notou que não houvera ali outro barco, e que Jesus nele não entrara com os seus discípulos, mas que só os discípulos se foram, – e como depois chegaram outros barcos do Tiberíades, junto ao lugar onde o Senhor, depois de dar graças, os nutrira com cinco pães; – e que conheceram, enfim, que Jesus não estava lá, não mais do que os seus discípulos, eles entraram nos barcos, e foram para Cafarnaum buscar a Jesus. – E, tendo-o encontrado além do mar, lhe disseram: Senhor, quando viestes aqui?

Jesus lhes respondeu: Em verdade, em verdade vos digo, vós me procurais, não por causa dos milagres que vistes, mas porque vos dei o pão para comer, e ficastes saciados. – Trabalhai para ter, não o alimento que perece, mas aquele que permanece para a vida eterna, e que o Filho do homem vos dará, porque foi nele que Deus, o Pai, imprimiu o seu selo e o seu caráter.

Eles lhe disseram: Que faremos para fazer as obras de Deus? – Jesus lhes respondeu: A obra de Deus é que creiais naquele que ele enviou.

Eles lhe disseram: Que milagre, pois, nos fazeis, a fim de que vendo creiamos em vós? Que fazeis de extraordinário? – Os nossos pais comeram o maná no deserto; segundo o que está escrito: Ele lhe deu para comer o pão do céu.

Jesus lhes respondeu: Em verdade, em verdade vos digo, Moisés não vos deu o pão do céu; mas é meu Pai quem vos dá o verdadeiro pão do céu. – Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu, e que dá vida ao mundo.