A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-QUINTO 1951

"Que milagre, pois, fazeis, a fim de que, vendo-o, creiamos em vós? Que fazeis de extraordinário?" É que eles entendiam por milagres os prodígios que os fariseus pediam, quer dizer, sinais no céu operados sob ordem, como pela varinha de um feiticeiro. O que Jesus fazia era muito simples e não se afastava muito das leis da Natureza; mesmo as curas não tinham um caráter bastante estranho, bastante extraordinário; os milagres espirituais não tinham bastante corpo para eles.

A TENTAÇÃO DE JESUS

52. – Jesus, transportado pelo diabo sobre o ápice do Templo, depois sobre uma montanha, e tentado por ele, é uma dessas parábolas que lhe eram familiares, e que a credulidade pública transformou em fatos materiais (1).

53. – Jesus não foi arrebatado, mas queria fazer os homens compreenderem que a Humanidade está sujeita a falir, e que deve estar sempre em guarda contra as más inspirações, às quais a sua natureza fraca a leva a ceder. A tentação de Jesus, portanto, é uma figura, e seria preciso ser cego para tomá-la ao pé da letra. Como quereríeis que o Messias, o Verbo de Deus encarnado, estivesse submetido por um tempo, tão curto que fosse, às sugestões do demônio, e que, como o diz no Evangelho de Lucas, o demônio deixou-o, por um tempo, o que daria a pensar que ele estivesse ainda submetido ao seu poder? Não; compreendei melhor os ensinamentos que vos foram dados. O Espírito do mal nada pode sobre a essência do bem. Ninguém disse ter visto Jesus sobre a montanha e nem sobre o ápice do Templo; certamente, seria um fato de natureza a se espalhar entre todos os povos. A tentação não foi, pois, um ato material e físico. Quanto ao ato moral, podeis admitir que o Espírito das trevas pôde dizer, àquele que conhecia a sua origem e o seu poder: "Adora-me, eu te darei todos os reinos da Terra?" O demônio teria, pois, ignorado quem era aquele a quem fazia tais ofertas, o que não é provável; se o conhecia, a sua proposição era um contrasenso, porque sabia bem que seria repelido por aquele que viera arruinar o seu império sobre os homens.

"Compreendei, pois, o sentido desta parábola, porque é


(1) A explicação seguinte é tirada, textualmente, de uma instrução dada a esse respeito por um Espírito.