A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-SEXTO 1971

Eis porque as predições circunstanciadas não podem oferecer certeza, e não devem ser aceitas senão como probabilidades, ainda mesmo que não levassem, com elas, uma marca de legítima suspeição. Também os Espíritos, verdadeiramente sábios, nada predizem para épocas fixas; limitamse a nos pressentir sobre o resultado das coisas que nos é útil conhecer. Insistir para ter detalhes precisos é se expor às mistificações de Espíritos levianos, que predizem tudo o que se quer, sem se importarem com a verdade, e se divertindo com os pavores e com as decepções que causam.

17. – A forma geralmente muito empregada até aqui para as predições faz delas verdadeiros enigmas, freqüentemente indecifráveis. Essa forma misteriosa e cabalística, da qual Nostradamus oferece o tipo mais completo, lhes dá um certo prestígio aos olhos do vulgo, que lhes atribui tanto mais valor quanto sejam mais incompreensíveis. Pela sua ambigüidade, elas se prestam a interpretações muito diferentes; de tal sorte que, segundo o sentido atribuído a certas palavras alegóricas, ou de convenção, segundo a maneira de computar o cálculo bizarramente complicado das datas, e com um pouco de boa vontade, ali se encontra quase tudo o que se quer.

Qualquer que ela seja, não se pode deixar de convir que algumas têm um caráter sério, e confundem pela sua veracidade. É provável que essa forma velada teve, num tempo, a sua razão de ser e mesmo a sua necessidade.

Hoje, as circunstâncias não são mais as mesmas; o positivismo do século se acomodaria pouco com a linguagem sibilina. Também, as predições de nossos dias não afetam mais essas formas estranhas; aquelas que os Espíritos fazem nada têm de místico; elas falam a linguagem de todo o mundo, como se o fizessem quando vivos, porque não deixaram de pertencer à Humanidade; nos pressentem sobre as coisas futuras, pessoais ou gerais, quando isto pode ser útil, na medida da perspicácia da qual são dotados, como o fariam conselheiros ou amigos. As suas previsões são, pois, antes advertências, que nada tiram ao livre arbítrio, do que predições propriamente ditas que implicariam uma fatalidade absoluta. A sua opinião, além disso, é quase sempre motivada, porque não querem que o