A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-SÉTIMO 1973

CAPÍTULO XVII

PREDIÇÕES DO EVANGELHO

Ninguém é profeta em sua terra. – Morte e paixão de

Jesus. – Perseguição dos apóstolos. – Cidades impenitentes. – Ruína do Templo e de Jerusalém. – Maldição aos fariseus. – Minhas palavras não passarão.

– A pedra angular. – Parábola dos vinhateiros homicidas. – Um só rebanho e um só pastor. – Advento de Elias. – Anunciação do

Consolador. – Segundo advento do Cristo. – Sinais precursores. – Vossos filhos e vossas filhas profetizarão. – Julgamento final.

NINGUÉM É PROFETA EM SUA TERRA

1. – E, tendo vindo para a sua terra, os instruía em suas sinagogas, de sorte que tomados de admiração, eles diziam: De onde vieram para este essa sabedoria e esses milagres? – Não é o filho do carpinteiro? Sua mãe não se chama Maria, e seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? E suas irmãs não estão todas entre nós? De onde vem, pois, a este todas essas coisas? – E assim faziam dele um objeto de escândalo. Mas Jesus lhes disse: Um profeta não é desonrado senão em sua terra e em sua casa. – E não fez ali muitos milagres, por causa de sua incredulidade. (São Mateus, cap. XIII, v. de 54 a 58).

2. – Jesus enunciou aí uma verdade que se fez provérbio, que é de todos os tempos, e à qual se poderia dar mais extensão dizendo que ninguém é profeta quando vivo.

Na linguagem usual, esta máxima se entende como o