A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-SÉTIMO 1979

minhar, hoje e amanhã, e no dia seguinte, porque não é preciso que um profeta sofra a morte alhures senão em Jerusalém.

Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e que lapidas aqueles que são enviados para ti, quantas vezes quis reunir teus filhos, como uma galinha junta seus pintainhos sob as suas asas, e tu não quiseste. – O tempo se aproxima em que a vossa casa ficará deserta. Ora, eu vos digo, em verdade, que não me vereis mais, doravante, até quando disserdes: Bendito seja aquele que vem em nome do Senhor. (São Lucas, cap. XIII, v.33, 34, 35).

18. – Quando virdes um exército cercar Jerusalém, sabei que a sua desolação está próxima. – Então, que aqueles que estiverem na Judéia, fujam sobre as montanhas; que aqueles que se encontrarem no meio dela se retirem, e que aqueles que estiverem na região em torno, nela não entrem. – Porque esses serão, então, os dias da vingança; a fim de que tudo o que está nas Escrituras seja cumprido. – Infelizes daquelas que estiverem grávidas ou amamentando naqueles dias, porque este país será oprimido pelos males, e a cólera do céu cairá sobre este povo. – Passarão pelo fio da espada; serão levados cativos em todas as nações, e Jerusalém será calcada aos pés pelos gentios, até que o tempo das nações esteja cumprido. (São Lucas, cap, XXI, v. de 20 a 24).

19.(Jesus caminhando para o suplício). Ora, ele era seguido por uma grande multidão de povo e de mulheres, que batiam no peito e que choravam. – Mas Jesus, virando-se, lhes disse: Filhas de Jerusalém, não choreis sobre mim, mas chorai sobre vós mesmas e sobre os vossos filhos; – porquanto virá um tempo no qual se dirá: Felizes as estéreis e as entranhas que não deram filhos e os seios que não alimentaram. – Começarão, então a dizer às montanhas: Tombai sobre nós! E às colinas: Cobri-nos! – Porque, se tratam dessa maneira a lenha verde, como a lenha seca será tratada? (São Lucas, cap. XXIII, v. de 27 a 31).

20. – A faculdade de pressentir as coisas futuras é um dos atributos da alma, e se explica pela teoria da presciência. Jesus a possuía, como todas as outras, em um grau eminente. Pôde, pois, prever os acontecimentos que se se-