A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-SÉTIMO 1991

41. – Jesus, dizendo aos seus apóstolos: "Um outro virá mais tarde, que vos ensinará o que não posso vos dizer agora", proclamava, por isso mesmo, a necessidade da reencarnação. Como esses homens poderiam aproveitar o ensino mais completo que deveria ser dado ulteriormente; como estariam mais aptos para compreendê-lo, se não devessem reviver? Jesus teria dito uma inconseqüência se os homens futuros devessem, segundo a doutrina vulgar, ser homens novos, almas saídas do nada no seu nascimento. Admiti, ao contrário, que os apóstolos, e os homens de seu tempo, viveram depois; que reviverão ainda hoje, a promessa de Jesus se acha justificada; a sua inteligência, que deve ter-se desenvolvido ao contato do progresso social, pode suportar agora o que não poderia suportar então. Sem a reencarnação, a promessa de Jesus teria sido ilusória.

42. – Se se dissesse que essa promessa realizou-se no dia do Pentecostes, pela descida do Santo-Espírito, responder-se-ia que o Espírito Santo os inspirou, que pôde abrir a sua inteligência, desenvolver neles as aptidões medianímicas que deveriam facilitar a sua missão, mas que nada lhes ensinou a mais do que Jesus havia ensinado, porque não se encontra nenhum traço de ensino especial. O Espírito Santo, pois, não realizou o que Jesus anunciara, do consolador: de outro modo os apóstolos teriam elucidado, desde quando vivos, tudo o que permaneceu obscuro no Evangelho até este dia, e cuja interpretação contraditória deu lugar às inumeráveis seitas que dividiram o Cristianismo desde os primeiros séculos.

SEGUNDO ADVENTO DO CRISTO

43. – Disse então Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, que renuncie a si mesmo, se carregue com sua cruz, e que me siga; – porque aquele que quer salvar a sua vida a perderá e aquele que perder a sua vida por amor a mim a reencontrará.

E que serviria a um homem ganhar todo o mundo, e perder a sua alma? Ou por qual troca o homem poderia resgatar a sua alma, depois que a tivesse perdido? – Porque o Filho do homem deve vir na glória de seu Pai