A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-SÉTIMO 1993

Por outro lado, é certo que se Jesus houvesse dito tudo o que poderia dizer, teria se exprimido sobre todas as coisas de maneira límpida e precisa, que não daria lugar a nenhum equívoco, como o fez para os princípios de moral, ao passo que deve ter velado seu pensamento sobre os assuntos que não julgou oportuno aprofundar. Os apóstolos, persuadidos de que a geração presente deveria ser testemunha do que ele anunciava, devem ter interpretado o pensamento de Jesus segundo a sua idéia; puderam, por conseguinte, redigi-la no sentido do presente de maneira mais absoluta que talvez não o fizesse ele mesmo. Qualquer que ela seja, o fato está aí provando que as coisas não ocorreram assim como acreditaram.

46. – Um ponto capital que Jesus não pôde desenvolver, porque os homens de seu tempo não estavam suficientemente preparados para essa ordem de idéias e para as suas conseqüências, mas do qual, entretanto, colocou o princípio, como o fez para todas as coisas, é a grande e importante lei da reencarnação. Esta lei, estudada e colocada à luz dos nossos dias pelo Espiritismo, é a chave de muitas passagens do Evangelho que, sem ela, parecem um contrasenso.

É nesta lei que se pode encontrar a explicação racional das palavras acima, admitindo-as como textuais. Uma vez que não pode aplicar à pessoa dos apóstolos, é evidente que elas se reportam ao reino futuro do Cristo, quer dizer, ao tempo em que a sua doutrina, melhor compreendida, será a lei universal. Em lhes dizendo que alguns daqueles que estão presentes verão o seu advento, isso não poderia se entender senão no sentido de que ele reviveria nesta época. Mas os Judeus pensavam que iriam ver tudo o que Jesus anunciava, e tomavam as suas alegorias pela letra.

De resto, algumas de suas predições se cumpriram em seu tempo, tais como a ruína de Jerusalém, as infelicidades que disso foram a conseqüência, e a dispersão dos Judeus; mas Jesus leva a sua visão mais longe, e falando do presente, faz constantemente alusão ao futuro.

SINAIS PRECURSORES

47. – Ouvireis falar também de guerras e de barulho de guerras; mas guardai-vos bem de vos perturbar,