O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO II - CAP. VII - RETORNO À VIDA CORPORAL 200

– Uma ansiedade bem grande, visto que as provas de sua existência retardarão ou acelerarão seu progresso, conforme as suporte bem ou mal.

342 – No momento da reencarnação, o Espírito está acompanhado por outros Espíritos, de seus amigos, que vêm assistir à sua partida do mundo espírita, como o vêm receber quando para lá retorna?

– Isso depende da esfera que o Espírito habita. Se está nas esferas onde reina a afeição, os Espíritos que o amam o acompanham até o último momento, encorajam-no e, freqüentemente, o seguem durante a vida.

343 – Os Espíritos amigos que nos seguem durante a vida, são algumas vezes aqueles que vemos em sonho, os quais nos testemunham afeição, e que se nos apresentam sob aparências desconhecidas?

– Muito freqüentemente são eles; vêm vos visitar como ides visitar um encarcerado.

UNIÃO DA ALMA E DO CORPO.

344 – Em que momento a alma se une ao corpo?

– A união começa na concepção, mas não se completa senão no momento do nascimento. Desde o momento da concepção, o Espírito designado para habitar tal corpo, a ele se liga por um laço fluídico que vai se apertando, cada vez mais, até que a criança nasça; o grito que se escapa, então, da criança, anuncia que ela se conta entre os vivos e servidores de Deus.

345 – A união entre o Espírito e o corpo é definitiva a partir do momento da concepção? Durante esse primeiro período o Espírito poderia renunciar em habitar o corpo designado?

– A união é definitiva no sentido que um outro Espírito não poderia substituir aquele que está designado para esse corpo; porém, como os laços que o prendem são muitos fracos, rompem-se facilmente, podem romper-se pela vontade do Espírito que recua diante da prova que escolheu. Nesse caso, a criança não vive.

346 – Que acontece para o Espírito se o corpo que escolheu morrer antes de nascer?