A GÊNESE - CAPÍTULO DÉCIMO-OITAVO 2016

novos, espíritos inteiramente dispostos a acolhê-lo. Neste estado de coisas, que poderão fazer aqueles que gostariam de se colocar em oposição?

25. – Não foi o Espiritismo que criou a renovação social, foi a maturidade da Humanidade que fez dessa renovação uma necessidade. Pelo seu poder moralizador, pelas suas tendências progressivas, pela amplitude de suas vistas, pela generalidade das questões que abarca, o Espiritismo está, mais que qualquer outra doutrina, apto a secundar o movimento regenerador; é por isso que dele é contemporâneo. Chegou no momento em que poderia ser útil, porque para ele também os tempos são chegados; mais cedo, teria encontrado obstáculos insuperáveis; inevitavelmente teria sucumbido, porque os homens, satisfeitos com o que tinham, não experimentavam ainda a necessidade daquilo que ele traz. Hoje, nascido com o movimento das idéias que fermentam, encontra o terreno preparado para recebê-los; os Espíritos, devido à dúvida e a incerteza, amedrontados com o abismo que se abre diante deles, o acolhem como uma âncora de salvação e uma suprema consolação.

26. – O número de retardatários, sem dúvida, é ainda muito grande, mas o que podem contra a onda que se levanta, senão lançar-lhe algumas pedras? Essa onda é a geração que se levanta, ao passo que eles desaparecem com a geração que se vai cada dia a largos passos. Até lá, defenderão o terreno passo a passo há, pois, uma luta inevitável, mas uma luta desigual, porque é a do passado decrépito que cai em farrapos, contra o futuro juvenil; da estagnação contra o progresso; da criatura contra a vontade de Deus, porque os tempos marcados por ele estão chegados.

A GERAÇÃO NOVA

27. – Para que os homens sejam felizes sobre a Terra, é necessário que ela não seja povoada senão por bons Espíritos, encarnados e desencarnados, que não quererão senão o bem. Tendo chegado esse tempo, uma grande emigração se cumprirá entre aqueles que a habitam; aqueles que fazem o mal pelo mal, e que o sentimento do