O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO II - CAP. VII - RETORNO À VIDA CORPORAL 203

– Sim, algumas vezes, mas não vive.

– Toda criança que sobrevive ao nascimento, necessariamente tem um Espírito nela encarnado?

– Que seria sem ele? Não seria um ser humano.

357 – Quais são, para o Espírito, as conseqüências do aborto?

– É uma existência nula a recomeçar.

358 – O abortamento voluntário é um crime, qualquer que seja a época da concepção?

– Existe sempre crime quando transgredis a lei de Deus. A mãe, ou qualquer pessoa, cometerá sempre crime tirando a vida à criança antes de nascer, porque está impedindo, à alma, de suportar as provas das quais o corpo deveria ser o instrumento.

359 – No caso em que a vida da mãe estivesse em perigo com o nascimento da criança, há crime em sacrificar a criança para salvar a mãe?

– É preferível sacrificar o ser que não existe ao ser que existe.

360 – É racional ter pelo feto a mesma atenção que se tem pelo corpo de uma criança que tivesse vivido?

– Em tudo isso vedes a vontade de Deus e sua obra; não trateis, pois, levianamente as coisas que deveis respeitar. Por que não respeitar as obras  da  Criação, que são incompletas às vezes pela vontade do Criador? Isso pertence aos seus desígnios, que pessoa alguma é chamada a julgar.

FACULDADES MORAIS E INTELECTUAIS.

361 – De onde vêm, para o homem, as qualidades morais, boas ou más?

– São as do Espírito que está encarnado nele; quanto mais o Espírito é puro, mais o homem é guiado para o bem.

– Parece resultar disso que o homem de bem é a encarnação de um bom Espírito, e o homem viciado a de um mau Espírito?

– Sim, mas dize antes que é um Espírito imperfeito, de