OBRAS PÓSTUMAS - PRIMEIRA PARTE 2148

puta, para saber qual dentre eles era o maior; e lhes disse pegando uma criança e colocando-a junto a si:

"Quem me recebe, recebe aquele que me enviou; porque aquele que é o menor entre vós, é o maior." (São Lucas, cap. IX, v. 48.)

"Quem recebe em meu nome uma criancinha como esta, me recebe, e quem me recebe, não recebe só a mim, mas recebe aquele que me enviou." (São Marcos, cap. IX, v. 36.)

"Jesus lhes disse, pois: "Se Deus fosse o vosso Pai, me amaríeis, porque foi de Deus que eu saí, e que é de sua parte que vim; porque não vim por mim mesmo, mas foi ele quem me enviou." (São João, cap. VIII, v. 42.)

"Jesus lhes disse, pois: "Estou ainda convosco por um pouco de tempo, e em seguida vou para aquele que me enviou." (São João, cap. VII, v. 33.)

"Aquele que vos escuta me escuta; aquele que vos despreza me despreza, e quem me despreza, despreza aquele que me enviou." (São João, cap. X, v. 16.)

O dogma da divindade de Jesus está fundado sobre a igualdade absoluta entre a sua pessoa e Deus, uma vez que é o próprio Deus: é um artigo de fé; ora, estas palavras, tão freqüentemente repetidas por Jesus: Aquele que me enviou, testemunham não somente quanto a dualidade das pessoas, mas, ainda, como dissemos, excluem a igualdade absoluta entre elas; porque aquele que é enviado, necessariamente, está subordinado àquele que envia; obedecendo, faz ato de submissão. Um embaixador, falando de seu soberano, dirá: Meu senhor, aquele que me enviou; mas se é o soberano em pessoa que vem, ele falará em seu próprio nome e não dirá: Aquele que me enviou, porque não se pode enviar a si mesmo. Jesus o disse, em termos categóricos por estas palavras: eu não vim por mim mesmo, mas foi ele quem me enviou.

Estas palavras: Aquele que me despreza, despre