O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO II - CAP. VIII - EMANCIPAÇÃO DA ALMA 225

TRANSMISSÃO OCULTA DO PENSAMENTO.

419 – Por que a mesma idéia, a de uma descoberta, por exemplo, se produz sobre vários pontos ao mesmo tempo?

– Já vos dissemos que, durante o sono, os Espíritos se comunicam entre si. Pois bem, quando o corpo desperta, o Espírito se lembra do que aprendeu e o homem acredita tê-lo inventado. Assim, vários podem encontrar a mesma coisa a um só tempo. Quando dizeis que uma idéia está no ar, usais uma figura mais justa do que acreditais. Cada um contribui em propagá-la, sem suspeitar.

Nosso Espírito revela, assim, freqüentemente, a outros Espíritos e sem o nosso conhecimento, o que se faz objeto de nossas preocupações durante a vigília.

420 – Podem os Espíritos se comunicar, se o corpo está completamente desperto?

– O Espírito não está encerrado no corpo como numa caixa: ele irradia por todos os lados. Por isso, ele pode se comunicar com outros Espíritos mesmo no estado de vigília, ainda que o faça mais dificilmente.

421 – Por que duas pessoas, perfeitamente despertas, têm instantaneamente a mesma idéia?

– São dois Espíritos simpáticos que se comunicam e vêem, reciprocamente, seus pensamentos, mesmo quando o corpo não dorme.

Há, entre os Espíritos que se encontram, uma comunicação de pensamentos que faz duas pessoas se verem e se compreenderem sem necessidade dos sinais exteriores da linguagem. Poder-se-ia dizer que elas falam a linguagem dos Espíritos.

LETARGIA, CATALEPSIA E MORTES APARENTES.

422 – Os letárgicos e os catalépticos vêem e ouvem, geralmente, o que se passa ao seu redor, mas não podem se manifestar; é pelos olhos e orelhas do corpo?

– Não, pelo Espírito. O Espírito se reconhece, mas não pode se comunicar.

– Por que ele não pode se comunicar?

– O Estado do corpo se opõe  a  isso.  Estado  particular dos órgãos vos dá a prova de que há,  no  homem,  outra