OBRAS PÓSTUMAS - SEGUNDA PARTE 2288

meira edição de O Livro dos Espíritos, que apareceu a 18 de abril de 1857.

Até o fim desse mesmo ano, as duas senhoritas Baudin se casaram; as reuniões não mais ocorreram, e a família se dispersou. Mas, então, as minhas relações começaram a se estender, e os Espíritos multiplicaram, para mim, os meios de instrução para os meus trabalhos ulteriores.

11 DE DEZEMBRO DE 1855

(Em casa do sr. Baudin, méd. srta. Baudin.)

MEU ESPÍRITO PROTETOR

Pergunta ao Espírito Z. – No mundo dos Espíritos, há um deles que seja para mim um bom gênio? – Resposta. Sim; – Perg. É o Espírito de um parente ou de um amigo? Resp. Nem um nem outro. – Perg. Quem foi sobre a Terra? – Um homem justo e sábio. – Perg. Que devo fazer para granjear a sua benevolência? – Resp. O mais de bem possível. – Perg. Por quais sinais poderei reconhecer a sua intervenção? – Resp. Pela satisfação que sentirás. – Perg. Há um meio de evocá-lo, e qual? – Resp. Ter uma fé viva e pedir com empenho. – Perg. Depois de minha morte o reconhecerei no mundo dos Espíritos? – Resp. Isso não é duvidoso; será ele que virá te felicitar, se cumprires bem a tua tarefa.

Nota. – Vê-se, por essas perguntas, que eu estava ainda bem novato sobre as coisas do mundo espiritual.

Perg. – O Espírito de minha mãe vem algumas vezes me visitar? – Resp. Sim, e ela te protege tanto quanto isso seja possível. – Perg. Freqüentemente eu a vejo em sonho; é isso uma lembrança e um efeito de minha imaginação? Resp. – Não; é bem ela que te aparece, tu deves compreendê-lo pela emoção que sentes.