O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO II - CAP. IX - INTERVENÇÃO DOS ESPÍRITOS NO MUNDO CORPORAL 241

Se fosse útil que pudéssemos distinguir claramente nossos próprios pensamentos daqueles que nos são sugeridos, Deus nos teria dado o meio, como ele nos deu o de distinguir o dia da noite. Quando uma coisa é vaga, é que assim deve ser para o bem.

463 – Diz-se, algumas vezes, que o primeiro movimento é sempre bom; isso é exato?

– Ele pode ser bom ou mau segundo a natureza do Espírito encarnado. É sempre bom naquele que atende às boas inspirações.

464 – Como distinguir se um pensamento sugerido vem de um bom ou de um mau Espírito?

– Estudai a coisa; os bons Espíritos não aconselham senão o bem. Cabe a vós a distinção.

465 – Com que objetivo os Espíritos imperfeitos nos compelem ao mal?

Para vos fazer sofrer como eles.

– Isso diminui seus sofrimentos?

– Não, mas o fazem por inveja de verem seres mais felizes.

– Que natureza de sofrimento eles querem fazer experimentar?

– Os que resultam de ser de uma ordem inferior e afastada de Deus.

466 – Por que Deus permite que os Espíritos nos excitem ao mal?

– Os Espíritos imperfeitos são instrumentos destinados a experimentar a fé e a constância dos homens no bem. Tu, sendo Espírito, deves progredir na ciência do infinito e é por isso que passas pelas provas do mal para alcançar o bem. Nossa missão é de colocar-te no bom caminho, e quando as más influências agem sobre ti é que as atrais pelo desejo do mal, porque os Espíritos inferiores vêm em tua ajuda no mal, quando tens vontade de praticá-lo. Eles não podem te ajudar no mal senão quando queres o mal. Se és propenso ao homicídio, terás uma multidão de Espíritos que manterão esse pensamento em ti; mas, também, terás outros que se esforçarão em te influenciar no bem, o que faz restabelecer a balança e te deixa o comando.

É assim que Deus deixa à nossa consciência a  escolha  do