O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO III - CAP. I - LEI DIVINA OU NATURAL 296

646 – O mérito do bem que se fez está subordinado a certas condições; dizendo melhor, há diferentes graus no mérito do bem?

– O mérito do bem está na dificuldade. Não há mérito em fazer o bem sem trabalho, e quando nada custa. Deus tem mais em conta o pobre que reparte seu único pedaço de pão, do que o rico que não dá senão seu supérfluo. Jesus disse-o a propósito do óbolo da viúva.

DIVISÃO DA LEI NATURAL.

647 – Toda a lei de Deus está contida na máxima de amor ao próximo ensinada por Jesus?

– Certamente, essa máxima encerra todos os deveres dos homens entre si. Mas é preciso mostrar-lhes  a  aplicação, de outra forma eles podem negligenciá-la, como o fazem hoje. Aliás, a lei natural compreende todas as circunstâncias da vida e essa máxima não é dela senão uma parte. Os homens necessitam de regras precisas, pois os preceitos gerais e muito vagos deixam muitas portas abertas à interpretação.

648 – Que pensais da divisão da lei natural em dez partes, compreendendo as leis sobre a adoração, o trabalho, a reprodução, a conservação, a destruição, a sociedade, o progresso, a igualdade, a liberdade, enfim, a de justiça, de amor e de caridade?

– Essa divisão da lei de Deus em dez partes é a de Moisés e pode abranger todas as circunstâncias da vida, o que é essencial. Podes, pois, segui-la, sem que ela tenha por isso nada de absoluto, não mais que todos os outros sistemas de classificação que dependem do ponto de vista sob o qual se considera uma coisa. A última lei é a mais importante: é por ela que o homem pode avançar mais na vida espiritual, porque ela resume todas as outras.