O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO III - CAP. VII - LEI DE SOCIEDADE 332

CAPÍTULO VII

VI. – LEI DE SOCIEDADE

1. Necessidade da vida social. – 2. Vida de isolamento. Voto de silêncio. – 3. Laços de família.

NECESSIDADE DA VIDA SOCIAL.

766 – A vida social está na Natureza?

– Certamente. Deus fez o homem para viver em sociedade. Deus não deu inutilmente ao homem a palavra e todas as outras faculdades  necessárias à vida de relação.

767 – O isolamento absoluto é contrário à lei natural?

– Sim, visto que os homens procuram a sociedade por instinto, e que devem concorrer para o progresso, ajudando-se mutuamente.

768 – O homem, procurando a sociedade, não faz senão obedecer a um sentimento pessoal, ou há nesse sentimento um objetivo providencial mais geral?

– O homem deve progredir. Sozinho, ele não pode porque não tem todas as faculdades; é-lhe preciso o contato dos outros homens. No isolamento, ele se embrutece e se debilita.

Nenhum homem tem as faculdades completas. Pela união social, eles se completam uns pelos outros para assegurar seu bem-estar e progredir. Por isso, tendo necessidade uns dos outros, são feitos para viver em sociedade e não isolados.

VIDA DE ISOLAMENTO. VOTO DE SILÊNCIO.

769 – Concebe-se que, como princípio geral, a vida social esteja na Natureza; mas, como todos os gostos estão também na Natureza, por que o gosto pelo isolamento absoluto seria condenável, se o homem encontra aí sua satisfação?

– Satisfação egoística. Há, também, homens  que en-