O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO III - CAP. VIII - LEI DO PROGRESSO 338

mundo físico e que do mal mesmo pode surgir o bem. Mas esses estado de coisas é breve e mudará, à medida que o homem compreenda melhor que há, fora dos prazeres dos bens terrenos, uma felicidade infinitamente maior e infinitamente mais durável. (Vede Egoísmo, cap. XII).

Há duas espécies de progresso que se prestam mútuo apoio e que, todavia, não marcham lado a lado: o progresso intelectual e o progresso moral. Entre os povos civilizados, o primeiro recebe, neste século, todos os incentivos desejáveis e, por isso, atingiu um grau desconhecido até nossos dias. Falta ao segundo para que esteja no mesmo nível, todavia, se se comparam os costumes sociais aos de alguns séculos atrás, seria preciso ser cego para negar o Progresso. Por que, pois, a marcha ascendente se deteria antes pelo moral que pela inteligência? Por que nisso não haveria entre o século dezenove e o vigésimo quarto século igual diferença que entre o décimo-quarto e décimo-nono? Duvidar seria pretender que a Humanidade está no apogeu da perfeição, o que seria absurdo, ou que ela não é perfectível moralmente, o que é desmentido pela experiência.

POVOS DEGENERADOS.

786 – A História nos mostra uma multidão de povos que, depois dos abalos que os agitaram, caíram na barbárie; onde está, nesse caso, o progresso?

– Quando tua casa ameaça ruir, tu a derrubas para a reconstruir de maneira mais sólida e mais cômoda; mas até que ela esteja reconstruída, há perturbação e confusão em tua residência.

Compreende ainda isto: eras pobre e habitavas um casebre, porém, tornando-te rico o trocaste para habitar um palácio. Então, um pobre diabo, como tu o eras, vem tomar teu lugar no casebre e está muito contente, porque antes disso não tinha abrigo. Pois bem! aprende pois, que os Espíritos que estão encarnados nesse povo degenerado não são aqueles que o compuseram ao tempo do seu esplendor. Os de então, que avançaram, foram para habitações mais perfeitas e progrediram, enquanto que outros menos avançados tomaram seu lugar, que, a seu turno, trocarão.

787 – Não há raças que, por sua natureza, são rebeldes ao progresso?

– Sim, mas estas se aniquilam, cada dia, corporalmente.