O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO III - CAP. VIII - LEI DO PROGRESSO 343

A civilização criou, para o homem, novas necessidades, e essas necessidades estão relacionadas com a posição social em que se colocou. Há que se regrar os direitos e os deveres dessa posição pelas leis humanas. Mas sob a influência de suas paixões, freqüentemente, eles criam direitos e deveres imaginários que condenam a lei natural e que os povos apagam de seus códigos, à medida que progridem. A lei natural é imutável e a mesma para todos; a lei humana é variável e progressiva. Só ela pôde consagrar, na infância das sociedades, o direito do mais forte.

796 – A severidade das leis penais não é uma necessidade, no estado atual da sociedade?

– Uma sociedade depravada tem, certamente, necessidade de leis mais severas. Infelizmente, essas leis se interessam mais em punir o mal, quando já feito, do que secar a fonte do mal. Não há senão a educação para reformar os homens. Então, eles não terão mais necessidade de leis tão rigorosas.

797 – Como o homem poderia ser levado a reformar suas leis?

– Isso vem naturalmente pela força das coisas e a influência das pessoas de bem que o conduzem no caminho do progresso. Ele já reformou muitas e reformará outras. Espera!

INFLUÊNCIA DO ESPIRITISMO SOBRE O PROGRESSO.

798 – O Espiritismo tornar-se-á uma crença popular ou ficará circunscrito a algumas pessoas?

– Certamente, ele se tornará uma crença popular, e marcará uma nova era na história da Humanidade, porque está na Natureza e é chegado o tempo em que deve tomar lugar entre os conhecimentos humanos. Entretanto, terá grandes lutas a sustentar, mais ainda contra o interesse que contra a convicção, porque não é preciso dissimular que há gente interessada em combatê-lo, uns por amor-próprio, outros por causas inteiramente materiais. Mas os contraditores, achando-se mais e mais isolados, serão forçados a pensar como todo o mundo, sob pena de se tornarem ridículos.

As idéias não se transformam senão com o tempo, e jamais subitamente. Elas se enfraquecem de geração a geração e acabam por desaparecer, pouco a pouco, com aqueles que as professaram, e que são substituídos por outros indivíduos, imbuídos de novos princípios, como ocorre com as idéias políticas. Ve-