O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO III - CAP. XI - LEI DE JUSTIÇA, DE AMOR E DE CARIDADE 370

CAPÍTULO XI

X. – LEI DE JUSTIÇA, DE AMOR E DE CARIDADE

1. Justiça e direitos naturais – 2. Direito de propriedade. Roubo. – 3. Caridade e amor do próximo – 4. Amor maternal e filial.

JUSTIÇA E DIREITOS NATURAIS.

873 – O sentimento de justiça está na Natureza ou resulta de idéias adquiridas?

– Tanto está na Natureza, que vos revoltais ao pensamento de uma injustiça. O progresso moral desenvolve, sem dúvida, esse sentimento, mas não o dá: Deus o colocou no coração do homem. Eis porque encontrareis, freqüentemente, entre os homens simples e primitivos, noções mais exatas da justiça que entre os que têm muito saber.

874 – Se a justiça é uma lei natural, como ocorre que os homens a entendam de maneiras tão diferentes, e que um ache justo aquilo que parece injusto a outro?

– É que, freqüentemente, aí misturam paixões que alteram esse sentimento, como a maioria dos outros sentimentos naturais, e fazem ver as coisas sob um falso ponto de vista.

875 – Como se pode definir a justiça?

– A justiça consiste no respeito aos  direitos  de cada um.

– O que determina esses direitos?

– Duas coisas os determinam: a lei  humana e a lei natural. Tendo os homens feito leis apropriadas aos seus costumes  e  ao  seu  caráter, essas leis estabeleceram direitos que puderam variar com o progresso dos conhecimentos. Vede  se  vossas  leis   de  hoje, sem  serem  perfeitas, consa-