O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO IV - CAP. I - PENAS E GOZOS TERRESTRES 393

O deslocamento dos homens fora de sua esfera intelectual é, seguramente, uma das causas mais freqüentes de decepção. A inaptidão pela carreira abraçada é uma fonte perene de reveses. Depois, o amor-próprio, vindo juntar-se a isso, impede o homem fracassado de procurar um recurso numa profissão mais humilde e lhe mostra o suicídio como remédio para escapar ao que ele crê uma humilhação. Se uma educação moral o tivesse elevado acima dos tolos preconceitos do orgulho, ele não seria apanhado de surpresa.

929 – Há pessoas que, estando privadas de todos os recursos, nesse caso, mesmo que a abundância reine ao seu redor, não têm senão a morte por perspectiva; que partido devem tomar? Devem deixar-se morrer de fome?

– Não se deve  jamais  ter  a  idéia  de  se  deixar  morrer de fome. Encontrar-se-á sempre meios de se  alimentar, se o orgulho não se interpuser entre a necessidade e o trabalho. Diz-se  freqüentemente: não há profissão tola e não é a situação que  desonra;  diz-se para os outros e  não para si.

930 – É evidente que, sem os preconceitos sociais pelos quais se se deixa dominar, encontrar-se-ia sempre um trabalho qualquer que pudesse ajudar a viver, mesmo deslocado de sua posição. Mas entre as pessoas que não têm preconceitos, ou que os deixam de lado, há os que estão na impossibilidade de prover às suas necessidades em conseqüência de doenças ou de outras causas independentes de sua vontade?

– Numa sociedade organizada segundo a lei do Cristo, ninguém deve morrer de fome.

Com uma organização social sábia e previdente, não pode faltar ao homem o necessário, senão por sua falta; mas mesmo suas faltas, freqüentemente, são o resultado do meio em que ele se encontra colocado. Quando o homem praticar a lei de Deus, terá uma ordem social fundada sobre a justiça e a solidariedade, e ele mesmo também será melhor. (793).

931 – Por que, na sociedade, as classes sofredoras são mais numerosas que as classes felizes?

– Nenhuma é perfeitamente feliz, e, o que se crê a felicidade, esconde, freqüentemente, pungentes pesares: o sofrimento está por toda  parte.  Entretanto,  para  responder