O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO IV - CAP. I - PENAS E GOZOS TERRESTRES 401

– Oh! ai deles! porque responderão por homicídio.

947 – O homem  que  luta  com  a  necessidade  e que se deixa morrer de desespero pode ser considerado um suicida?

– É um suicida, mas os que lhe são a causa ou que poderiam impedi-lo, são mais culpados que ele, e a indulgência o espera. Todavia, não creiais que esteja inteiramente absolvido se lhe faltou firmeza e perseverança, se não fez uso de toda a sua inteligência para se livrar do lamaçal. Ai dele, sobretudo, se seu desespero nasce do orgulho; quero dizer, se é desses homens em quem o orgulho paralisa os recursos da inteligência, que corariam de dever sua existência ao trabalho de suas mãos, e que preferem morrer de fome a derrogar aquilo que chamam sua posição social! Não há cem vezes mais de grandeza e de dignidade em lutar contra a adversidade que desafiar a crítica de um mundo fútil e egoísta, que não tem boa vontade senão para aqueles a quem nada falta, e vos volta as costas, desde que tendes necessidades dele? Sacrificar sua vida à consideração desse mundo é uma coisa estúpida, porque ele não a tem em nenhuma conta.

948 – O suicídio que tem por objetivo escapar à vergonha de uma ação má é tão repreensível como o que é causado pelo desespero?

– O suicídio não apaga a falta, ao contrário, haverá duas em lugar de uma. Quando se teve a coragem de fazer o mal, é preciso ter a de suportar suas conseqüências. Deus julga, e segundo a causa, pode, algumas vezes, diminuir seus rigores.

949 – O suicídio é escusável quando tem por objetivo impedir a vergonha de recair sobre os filhos ou a família?

– Aquele que age assim não faz bem, mas ele o crê, e Deus lho tem em conta, porque é uma expiação que ele próprio se impôs. Ele atenua sua falta pela intenção, mas com isso não deixa de cometer uma falta. De resto, aboli os abusos de vossa sociedade e vossos preconceitos, e não tereis mais desses suicídios.

Aquele que tira a própria vida para fugir à vergonha de uma ação má, prova que se prende mais à estima dos  homens  que  à de Deus, porque ele vai  entrar na vida  espiritual carregado  de  suas