O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO IV - CAP. II - PENAS E GOZOS FUTUROS 408

têm nada de carnal e, portanto, são mil vezes mais vivos que os que experimentais sobre a Terra, porque o Espírito, uma vez livre, é mais impressionável e a matéria não enfraquece mais suas sensações. (237 a 257).

966 – Por que o homem faz das penas e dos gozos da vida futura, uma idéia, freqüentemente, tão grosseira e tão absurda?

– Inteligência que não pôde ainda desenvolver bastante. A criança compreende como o adulto? Aliás, isso depende também daquilo que se lhe ensinou; e aí há necessidade de uma reforma.

Vossa linguagem é muito incompleta para exprimir o que está em torno de vós; por isso, foram necessárias comparações e são essas imagens e essas figuras que tomastes pela realidade. Mas à medida que o homem se esclarece, seu pensamento compreende as coisas que sua linguagem não pode exprimir.

967 – Em que consiste a felicidade  dos  bons Espíritos?

– Conhecer todas as coisas, não ter nem ódio, nem ciúme, nem inveja, nem ambição, nem qualquer das paixões que fazem a infelicidade dos homens. O amor que os une é é para eles a fonte de uma suprema felicidade. Eles não experimentam nem as necessidades, nem os sofrimentos, nem as angústias da vida material. São felizes do bem que fazem. De resto, a felicidade dos Espíritos é sempre proporcional à sua elevação. Só os Espíritos puros gozam, é verdade, uma felicidade suprema, mas todos os outros não são infelizes. Entre os maus e os perfeitos há uma infinidade de graus em que os gozos são relativos ao estado moral. Os que estão bastante avançados compreendem a felicidade dos que chegaram antes deles: a ela aspiram. Mas é para eles objeto de emulação e não de ciúme. Sabem que deles depende alcançá-la e trabalham para esse fim, mas com a calma da boa consciência, e são felizes por não terem que sofrer o que sofrem os maus.

968 – Colocais a ausência das necessidades materiais entre as condições de felicidade para os Espíritos; mas a satisfação dessas necessidades não é para o homem  uma fonte de prazeres?