O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO IV - CAP. II - PENAS E GOZOS FUTUROS 428

PARAÍSO, INFERNO E PURGATÓRIO.

1011 – Um lugar circunscrito no Universo está destinado às  penas  e  aos  gozos  dos Espíritos, segundo seus  méritos? ( * )

– Já respondemos a essa questão. As penas e os gozos são inerentes ao grau de perfeição dos Espíritos. Cada um possui em si mesmo o princípio de sua própria felicidade ou infelicidade, e como eles estão por toda a parte, nenhum lugar circunscrito, nem fechado, não está destinado a um antes que a outro. Quanto aos Espíritos encarnados, são mais ou menos felizes ou infelizes, conforme o mundo que eles habitem mais ou menos avançado.

– Segundo isso, o inferno e o paraíso não existiriam tal como o homem o representa?

– Não são senão figuras: há por toda a parte Espíritos felizes e infelizes. Entretanto, como também já o dissemos, os Espíritos de uma mesma ordem se reúnem por simpatia; mas podem se reunir onde querem, quando são perfeitos.

A localização absoluta dos lugares de penas e recompensas não existe senão na imaginação do homem. Provém da tendência a materializar e a circunscrever as coisas das quais eles não podem compreender a essência infinita.

1012 – Que se deve entender pelo purgatório?

– Dores físicas e morais: é o tempo da expiação. Quase sempre é sobre a Terra que fazeis vosso purgatório e que Deus voz faz expiar vossas faltas.

O que o homem chama purgatório é também uma figura pela qual se deve entender, não um lugar determinado qualquer, mas o estado dos Espíritos imperfeitos que estão em expiação até a purificação completa que os deve elevar ao nível dos Espíritos bem-aventurados. Essa purificação operando-se nas diversas encarnações, o purgatório consiste nas provas da vida corporal.

1013 – Como se dá que Espíritos que, por sua linguagem, revelam superioridade, tenham respondido a pessoas muito sérias a respeito do inferno e do purgatório, conforme a idéia que deles se faz vulgarmente?

– Eles falam uma linguagem compreendida pelas pes-


( * ) A partir da questão nº 1010, a numeração do original francês foi alterada, em virtude de ter sido suprimida a de nº 1011. (N. do T.)