O LIVRO DOS MÉDIUNS - PRIMEIRA PARTE - CAPÍTULO I 464

PRIMEIRA PARTE

NOÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO PRIMEIRO

HÁ ESPÍRITOS?

1. A  dúvida  concernente  à  existência dos Espíritos tem por causa primeira a ignorância da sua verdadeira natureza. Geralmente, são imaginados como seres à parte na criação, e cuja necessidade não está demonstrada. Muitos não os conhecem senão pelos contos fantásticos com que foram embalados, mais ou menos como se conhece a história pelos romances; sem indagar se esses contos, apartados dos acessórios ridículos, repousam sobre um fundo de verdade, só o lado absurdo os impressiona; não se dando ao trabalho de tirar a casca amarga para descobrir a  amêndoa, rejeitam o todo, como fazem, na religião, aqueles que, chocados com certos abusos, confundem tudo na mesma reprovação.

Qualquer  que  seja  a  idéia  que  se   faça  dos  Espíritos, essa crença está necessariamente fundada na existência de um princípio inteligente fora da matéria e é incompatível com a negação absoluta deste princípio. Tomamos,  pois,  nosso ponto de partida na existência, sobrevivência  e  individualidade  da  alma, da qual o  Espiritualismo é  a  demonstração  teórica  e  dogmática,  e o Espiritismo a demonstração  patente. Façamos,  por um instante,  abstração das manifestações propriamente ditas, e raciocinando por indução, vejamos a quais conseqüências chegaremos.

2. Desde  o  momento  que  se  admite  a  existência da   alma   e  sua individualidade após a morte, é preciso admitir também: 1º, que ela é de uma natureza diferente da do