O LIVRO DOS MÉDIUNS - PRIMEIRA PARTE - CAPÍTULO IV 511

ainda completamente inerentes a eles; pois são matéria como vedes; daí os sofrimentos da fome, do frio, etc., sofri

mentos que não podem experimentar os Espíritos superiores, uma vez que os fluidos terrestres são depurados ao redor do pensamento, quer dizer, da alma. A alma, para seu progresso, tem sempre, necessidade de um agente; a alma, sem agente, não  é nada para vós ou, melhor dizendo, não pode   ser  concebida  por vós. O perispírito para nós, Espíritos errantes, é o agente pelo qual nos comunicamos convosco, seja indiretamente pelo vosso corpo ou vosso perispírito, seja diretamente à vossa alma; daí os infinitos matizes  de  médiuns e de comunicações. Agora, resta o ponto de vista   científico,   quer   dizer, a própria essência do perispírito; este é um outro assunto. Compreendei primeiro  moralmente;  não   resta  mais do que uma discussão   sobre   a natureza   dos fluidos, o que   é inexplicável no momento; a ciência não conhece bastante, mas lá chegará se quiser caminhar com o Espiritismo. O perispírito   pode   variar  e mudar ao infinito; a alma é o pensamento: não muda de natureza; a esse respeito não vades mais   longe,  é   um  ponto que não pode ser explicado. Credes que não procuro como vós? Vós, buscais o perispírito; nós buscamos a alma. Esperai, pois. – Lamennais".

Assim, se os Espíritos que se podem considerar como avançados, não puderam ainda sondar a natureza da alma, como poderíamos fazê-lo nós mesmos? Vai, pois, perder seu tempo quem quiser perscrutar o princípio das coisas, que, como está dito em O Livro dos Espíritos (nºs 17,49) está nos segredos de Deus. Pretender explorar, com a ajuda do Espiritismo, o que não é ainda da alçada da Humanidade, é desviar-se de seu verdadeiro objetivo; é fazer como a criança que quisera saber tanto como o velho. Que o homem utilize o Espiritismo para o seu adiantamento moral, é o essencial; o resto não é senão curiosidade estéril e, freqüentemente, orgulhosa, cuja satisfação não lhe fará dar nenhum passo à frente; o único meio de avançar é o de tornar-se melhor. Os  Espíritos   que   ditaram    o    livro      que     leva seu  nome, provaram sua  sabedoria,   limitando-se,      no que concerne  ao   princípio   das   coisas, nos    limites   que Deus não permite atravessar, deixando aos Espíritos sistemáticos e presunçosos a responsabilidade das teorias antecipadas e