O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO IV 530

rito, parece nele estar em uma espécie de estado de condensação, que o aproxima, até certo ponto, da matéria propriamente dita?

Até certo ponto, como dizeis, porque não lhe tem todas as propriedades; ele é mais ou menos condensado conforme os mundos.

8. Como um Espírito pode operar o movimento de um corpo sólido?

Combina   uma   parte  do fluido   universal  com o fluido    que   o    médium   libera,   próprio   para   esse   efeito.

9. Os Espíritos  levantam  a  mesa   com a ajuda de seus braços de certo modo solidificados?

Esta resposta  não  conduzirá,  ainda, ao  que  desejais. Quando uma mesa se move sob vossas mãos, o Espírito  evocado   vai tomar, no  fluido  universal,  do  que   animar essa  mesa  de  uma  vida factícia.  Assim   preparada  a mesa, o Espírito a atrai e a põe sob a influência do seu próprio  fluido,  liberado   por sua vontade. Quando a massa  que  quer  pôr  em  movimento  lhe é   muito pesada, chama em sua ajuda outros Espíritos que estão em suas mesmas condições. Em razão de sua natureza etérea, o Espírito,  propriamente   dito,  não  pode  agir  sobre  a matéria grosseira sem intermediário, quer dizer, sem o laço que o une à matéria; esse laço, que constitui o que chamais perispírito,  vos  dá  a  chave  de  todos os fenômenos espíritas  materiais. Creio ter-me explicado bastante claramente para me fazer compreender.

Nota. Chamamos a atenção para esta primeira frase. Esta resposta não conduzirá, ainda ao que desejais. O Espírito havia compreendido que todas as questões precedentes não foram feitas senão para chegar a esta, e faz alusão a nosso pensamento que esperava, com efeito, uma outra resposta, quer dizer, a confirmação de nossa idéia sobre a maneira que o Espírito faz mover as mesas.

10. Os Espíritos que chama em sua ajuda, lhe são inferiores? Estão sob suas ordens?