O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO IV 534

fluídica   necessária. Ocorre com esta força, como com a dos  magnetizadores,  ser  maior ou menor. Sob esse aspecto,   há  pessoas  que são  inteiramente  refratárias; outras, nas quais  a combinação não se opera senão por um esforço de  sua  vontade;  outras, enfim,   nas quais ocorre tão naturalmente   e  tão facilmente,   que nem  desconfiam disso, e  servem  de  instrumento sem o saberem, como já dissemos.

(Veja-se, adiante, o capítulo das manifestações espontâneas).

Nota. O magnetismo, sem nenhuma dúvida, é o princípio desses fenômenos, mas não como se o entende geralmente; a prova é que há magnetizadores muito poderosos que não fariam mover uma mesinha, e pessoas que não podem magnetizar, mesmo crianças, a quem basta pousarem os dedos sobre uma mesa pesada para fazê-la agitar-se; logo, se a força medianímica não está em razão da força magnética, é que há uma outra causa.

20. As pessoas ditas elétricas podem ser consideradas como médiuns?

Essas pessoas tomam em si mesmas o fluido necessário à produção do fenômeno, e podem agir sem o concurso de Espíritos estranhos. Não são médiuns, no sentido dado  a   essa  palavra; mas, pode ser também que um   Espírito  as  assista   e aproveite as suas disposições naturais.

Nota.  Essas  pessoas  seriam  como  os  sonâmbulos  que podem agir com ou sem o concurso   de   um  Espírito  estranho. (Veja,  no  capítulo dos médiuns, a parte relativa aos médiuns sonâmbulos).

21. O Espírito que age sobre os corpos sólidos para movê-los, está na substância mesma dos corpos, ou fora dessa substância?

Na substância e fora dela; dissemos que a matéria não é obstáculo para os Espíritos, que penetram tudo; uma porção do perispírito se identifica, por assim dizer, com o objeto que ele penetra.