O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO V 545

Espíritos,  um  meio regular e fácil de comunicação, mais raramente têm manifestações desse gênero, e isso se concebe.

87. As manifestações espontâneas não se limitam sempre aos ruídos e às pancadas; degeneram, algumas vezes, em verdadeiro barulho e em perturbações; móveis e objetos diversos são desordenados, projéteis de toda espécie são atirados de fora, portas e janelas são abertas e fechadas por mãos invisíveis, ladrilhos são quebrados, o que não pode ser levado à conta de ilusão.

Freqüentemente, a desordem é efetiva, mas, algumas vezes, não há senão a aparência da realidade. Ouve-se barulho   em   uma   parte vizinha, louça que cai e se quebra com  estrondo,  achas  de lenha   que   rolam  sobre  o  soalho; apressa-se  em  verificar  e se  encontra  tudo tranqüilo e   em  ordem;  depois,  logo  que  se  sai, o   tumulto recomeça.

88. As  manifestações  desse  gênero não são nem raras nem novas; poucas são as crônicas locais que não encerram alguma história  desse  tipo.  O  medo,  sem dúvida, freqüentemente, tem exagerado os fatos que deveram tomar proporções gigantescamente ridículas passando de boca  em  boca;  com  a  ajuda  da  superstição, as casas onde eles se passaram foram reputadas mal-assombradas pelo diabo, e daí todos os contos maravilhosos ou terríveis de fantasmas. De seu lado, a patifaria não deixou escapar tão bela ocasião de explorar a credulidade, e isso, freqüentemente, em proveito de interesses pessoais. Concebe-se, de resto,  a impressão que fatos desse gênero, mesmo reduzidos à realidade, podem causar em personalidades fracas e predispostas, pela educação, às idéias supersticiosas.  O   meio  mais  seguro  de prevenir os inconvenientes que  poderiam  ter,  uma  vez  que não se poderia impedi-los, é fazer conhecer a verdade. As coisas mais simples se tornam  assustadoras  quando a causa é desconhecida. Quando  se  estiver   familiarizado  com os Espíritos, e aqueles aos quais se manifestam não crêem mais ter uma legião de demônios a lhes perseguir, deles não terão mais medo.

Pode-se  ver, na Revista Espírita, a narração de vários fatos autênticos desse gênero, entre outros a história do