O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO V 549

essa causa com o maior cuidado e não admitir a intervenção dos Espíritos senão conscientemente; é o meio de não se iludir.  Aquele, por  exemplo,   que sem estar perto de ninguém, recebesse uma bofetada ou uma paulada nas costas, como já se viu, não  poderia  duvidar  da   presença  de um ser invisível.

Deve-se manter-se em guarda não somente contra as narrações que podem estar mais ou menos exageradas, mas contra as próprias impressões, e não atribuir uma origem oculta a tudo o que não se compreende. Uma infinidade de causas, muito simples e muito naturais, podem produzir efeitos estranhos à primeira vista, e seria uma verdadeira superstição ver, por toda parte, Espíritos ocupados em deslocar os móveis, quebrar a louça, suscitar, enfim, mil e um aborrecimentos no lar, quando é mais racional atribuí-las à imperícia.

92. A   explicação dada quanto ao movimento dos corpos inertes, se aplica, naturalmente, a todos os efeitos espontâneos  que  acabamos  de  ver.  Os ruídos, embora mais  fortes  do que as pancadas na mesa, têm a mesma causa;  os  objetos  lançados ou deslocados, o são pela mesma força que ergue um objeto qualquer. Uma circunstância vem  mesmo  aqui  em  apoio  dessa  teoria.  Poder-se-ia  perguntar onde  está  o médium  nessa  circunstância. Os Espíritos nos disseram que, em  semelhante  caso,  há sempre  alguém cujo poder se exerce com o seu desconhecimento. As manifestações espontâneas se produzem muito raramente nos lugares  isolados;   é quase sempre nas casas   habitadas  que  elas   ocorrem,  e pelo fato da presença de certas  pessoas que exercem uma influência sem  o  querer; essas   pessoas  são verdadeiros médiuns que ignoram a si mesmos, e que nós chamamos, por essa razão, médiuns naturais; eles são para os  outros  médiuns  os que os sonâmbulos naturais são para os sonâmbulos magnéticos, e do mesmo modo interessantes para se observar.

93. A intervenção voluntária ou involuntária de uma pessoa dotada de uma aptidão especial para a produção desses  fenômenos, parece  ser  necessária  na  maioria dos