O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO V 557

operar senão por intermédio de um único aparelho medianímico,  quer  dizer  que  vários  médiuns  não  podem concorrer simultaneamente na produção do mesmo fenômeno. Ocorre mesmo, ao contrário, que a presença de certas pessoas, antipáticas ao Espírito que opera, entrava radicalmente sua ação. É por esse motivo que, como vedes, é importante  acrescentar   que  os  transportes necessitam sempre de maior concentração, e, ao mesmo tempo, de maior difusão  de  certos fluidos, e que não podem ser obtidos senão com médiuns os melhores dotados, aqueles, em uma palavra, cujo aparelho  eletromedianímico  é  o de melhores condições.

Em geral, os fatos do transporte são e ficarão excessivamente raros. Não tenho necessidade de vos demonstrar porque são e serão menos freqüentes que os outros fatos de tangibilidade; do que disse, vós mesmos deduzireis. Além de que, esses fenômenos são de uma natureza tal que, não somente todos os médiuns não lhe são próprios, mas todos os Espíritos, eles mesmos, não podem produzi-los. Com efeito, é necessário que, entre o Espírito e o médium influenciado  exista uma certa afinidade, uma certa analogia, em uma palavra, uma certa semelhança que permita, à parte expansível do fluido perispirítico (1) do encarnado, de se misturar, se  unir, se  combinar  com  o   Espírito que quer fazer um transporte. Essa fusão deve ser tal que a força resultante se torne por assim dizer, uma; ao igual de uma corrente   elétrica  que,  agindo sobre o carvão, produz um foco, uma claridade única. Por que essa união, por que essa fusão? direis. É que, para a produção destes fenômenos é preciso que as propriedades essenciais do Espírito motor sejam  aumentadas   de algumas do mediunizado; isso porque  o  fluido  vital,  indispensável para a produção de todos os fenômenos medianímicos, é apanágio exclusivo do


(1) Vê-se que, quando se trata de exprimir uma idéia nova, para a qual a língua não tem palavra, os Espíritos sabem perfeitamente criar neologismos. Estas palavras, eletromedianímica, perispirítico, não são nossas. Aqueles que nos criticaram por termos criado as palavras Espírito, Espiritismo e perispírito, que não tinham suas análogas, poderão também fazer o mesmo processo aos Espíritos.