O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO V 564

Isso  acontece muito freqüentemente, com mais freqüência do que pensais, e isso poderia ser remediado pedindo ao Espírito para trazer de volta o objeto desaparecido.

16. Há   efeitos  que se consideram como sendo fenômenos naturais e que são devidos à ação de certos Espíritos?

Vossos dias estão repletos desses fatos que não compreendeis, porque não os haveis sonhado, e que um pouco de reflexão vos faria ver claramente.

Nota de Erasmo. Não atribuais aos Espíritos o que é obra da humanidade; mas crede na sua influência oculta, constante, que faz nascer, ao vosso derredor, mil circunstâncias, mil incidentes necessários ao cumprimento dos vossos atos, de vossa existência.

17. Entre os objetos transportados há os que podem ser fabricados pelos Espíritos; quer dizer, produzidos espontaneamente pelas modificações que os Espíritos podem impor ao fluido ou ao elemento universal?

Não por mim, porque não tenho permissão para isso; só um Espírito elevado pode fazê-lo.

18. Como introduzistes esses objetos, outro dia, pois o quarto estava fechado?

Fi-los entrarem comigo, envolvidos, por assim dizer, na minha substância; quanto a vos dizer mais, isso não é explicável.

19. Como fizestes para tornar visíveis esses objetos que estavam invisíveis um instante antes?

Retirei a matéria que os envolvia.

Nota de Erasto. Não é a matéria, propriamente dita, que os envolve, mas um fluido tomado metade no perispírito do médium, metade no do Espírito que opera.

20. (A Erasto). Um objeto pode ser transportado num lugar perfeitamente fechado, em uma palavra, o Espírito pode espiritualizar um objeto material, de maneira que possa penetrar a matéria?