O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO VI 571

Também   ocorrem no estado de saúde perfeita; mas, na   enfermidade, os laços materiais estão frouxos; a fraqueza   do corpo dá mais liberdade ao Espírito, que entra, mais facilmente,  em  comunicação  com  os  outros  Espíritos.

17. As aparições espontâneas parecem ser mais freqüentes em certos países. É que certos povos são melhores dotados do que outros para ter esses tipos de manifestações?

Levantais um processo verbal de cada aparição? As aparições, os ruídos, todas as manifestações, enfim, estão igualmente  espalhados sobre toda a Terra, mas apresentam caracteres distintivos segundo os povos nos quais ocorrem. Entre aqueles, por exemplo, nos quais a escrita está pouco disseminada, não há médiuns escreventes; entre outros  existem  muitíssimos; além de que, o mais freqüentemente,  há  mais ruídos e movimentos do que comunicações inteligentes,  porque  estas  são  menos preferidas e procuradas.

18. Por que as aparições ocorrem mais à noite? Não seria um efeito do silêncio e da obscuridade sobre a imaginação?

É pela mesma razão que vos faz ver, durante a noite, as estrelas que não vedes em pleno dia. A grande claridade pode apagar uma aparição pouco nítida; mas é um erro crer que a noite nisso sirva para alguma coisa. Interrogai todos aqueles que já tiveram aparições e vereis que a maioria as tiveram de dia.

Nota. Os  fatos das aparições são muito mais freqüentes e mais gerais do que se crê; mas muitas pessoas não os confessam por medo do ridículo, de outros atribuí-los à ilusão. Se parecem mais multiplicados entre certos povos, isto ocorre porque eles conservam mais cuidadosamente as tradições verdadeiras ou falsas, quase sempre amplificadas pelo atrativo do maravilhoso, ao qual se presta mais ou menos o aspecto das localidades; a credulidade, então, faz ver efeitos sobrenaturais nos fenômenos mais vulgares: o silêncio da solidão, o escarpamento dos barrancos, o rugido da floresta, as rajadas da tempestade, o eco das montanhas, a forma fantástica das nuvens, as  sombras,  as miragens, tudo, enfim, que se presta à ilusão