O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO VI 572

por imaginações  simples e ingênuas, que contam de boa fé o que viram e o que acreditaram ver. Mas, ao lado da ficção, há  a realidade;  é para livrá-la de todos os acessórios ridículos da superstição que o estudo sério do Espiritismo conduz.

19. A visão dos Espíritos se produz no estado normal ou somente em um estado de êxtase?

Pode  ocorrer  em condições perfeitamente normais; entretanto, as pessoas que os vêem, bastante freqüentemente, estão num estado particular, vizinho do êxtase, que lhes  dá  uma  espécie de dupla vista (O Livro dos Espíritos, nº 447.)

20. Aqueles que vêem os Espíritos, os vêem pelos olhos?

Eles o crêem,   mas, na realidade, é a alma quem vê, e, o que o   prova,   é   que  se  pode   ver com os olhos fechados.

21. Como o Espírito pode se tornar visível?

O princípio é o mesmo de todas as manifestações, e prende-se às propriedades do perispírito, que pode sofrer diversas modificações à vontade do Espírito.

22. O Espírito, propriamente dito, pode se tornar visível ou não o pode senão com a ajuda do perispírito?

No vosso estado material, os Espíritos não podem se manifestar senão com a ajuda do seu envoltório semi-material; é o intermediário através do qual age sobre os vossos sentidos. É sob este envoltório que eles aparecem, às vezes, com uma forma humana, ou outra diversa, seja nos sonhos, seja mesmo no estado de vigília, tanto na luz como na obscuridade.

23. Poder-se-ia dizer que é pela condensação do perispírito que o Espírito se torna visível?

Condensação não é a palavra; é antes uma comparação que pode ajudar-vos a fazer compreender o fenômeno, porque  não há realmente condensação. Pela combinação dos  fluidos,  se  produz no  perispírito uma disposição parti-